30.4.05

Proposta de leitura

NUMA ALTURA em que algumas religiões, nas suas sinistras versões fundamentalistas, andam por aí a fazer a vida negra a tanta gente, nada melhor do que uma leitura de algumas pequenas crónicas do Velho Testamento...

Nestes livros, a autora - Deana Barroqueiro (*) - reescreveu algumas dessas histórias, qual cronista desses tempos, sem crenças em Baal, Marduk ou Jahweh...

(*) www.deanabarroqueiro.educacao.te.pt/

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Críticas de Lídia Lobo:

---

CONTOS ERÓTICOS DO VELHO TESTAMENTO

Deana Barroqueiro, qual cronista da época, mergulha-nos num mundo de cor, de cheiros, de crueldade, de desejos, em que as figuras do Velho Testamento surgem imensamente humanas, através de uma escrita rica e sensual que se apodera de nós e nos envolve num turbilhão até à última página.
Embora sejam personagens masculinos a surgir nos títulos de todos os contos, são as figuras femininas, com a sua força subterrânea mas poderosa, quem verdadeiramente vai tecendo a trama dos dias. Sarai e Judite, Agar e Rute lutam à sua maneira e, numa sociedade em que tudo lhes é negado e onde ocupam o lugar mais humilde, conseguem afirmar-se pela coragem, pela determinação, pelos ardis e pelo jogo sensual delicadamente construído pela autora.
Estes Contos do Velho Testamento sacodem energicamente o pó de uma escrita intocada e trazem-nos para mais perto os personagens, na sua estatura bravia e rude, com os defeitos e qualidades de todos nós...

-------

NOVOS CONTOS ERÓTICOS DO VELHO TESTAMENTO

Deana Barroqueiro vem de novo oferecer-nos uma extraordinária pintura da alma feminina, na sua enganadora fraqueza assente numa força tornada imensa à custa de silêncios, cedências, compreensão, mas também de revolta, raiva e orgulho.
As cores aparentemente leves usadas nas mulheres contrastam com as cores pesadas do desejo masculino que surge pujante, primário, rude e... irrecusável.
Desta feita, o sorriso cúmplice acompanha-nos a leitura, já que em cada conto a autora junta à sua já conhecida arte de nos prender irremediavelmente ao correr das palavras, a capacidade de condimentar esse prazer com uma agudíssima, certeira e divertida ironia.
Ao chegarmos à última página temos pena que Susana ou Ester ou qualquer das outras heroínas, não esteja mais ali, como dizia o poeta, com seus sorrisos e suas tramas...

30 de abril de 2005 às 21:52  
Blogger isabel mendes ferreira said...

mas podemos resgatar um pouco mais de sorriso e enrolar as tramas e lançá-las ao mar e esperar...boa noite.

30 de abril de 2005 às 23:06  
Anonymous Anónimo said...

É difícil para um escritor que não pertença ao meio dos media ou dos intelectuais já longamente estabelecidos fazer chegar a sua obra aos leitores, se a sua editora (ainda que tenha um nome que, só por si, seja garantia de qualidade) não tiver uma política agressiva de marketing que imponha os seus autores.
E, se esse escritor não gosta de mendigar o favor de uma crítica, muitas vezes feita sobre o joelho e sem conhecimento do tema (por exemplo, no caso do romance histórico que é a minha área), resta-lhe marcar passo e desistir ou continuar a escrever, se a escrita for para ele tão necessária como a vida.
A menos que lhe suceda o milagre de se tornar apetecido e traduzido “lá fora”, no estrangeiro. Então os críticos portugueses são alertados para a possível qualidade daquele autor desconhecido e dignam-se a lê-lo.
Que os leitores me perdoem a amarga ironia, mas tudo isto foi para dizer que o meu livro “Contos Eróticos do Velho Testamento” – que este delicioso e irónico “Sorumbático” vos deu a conhecer – está a ser traduzido para língua espanhola por uma editora de Madrid e fala-se da possibilidade de uma tradução para francês dos “Novos Contos Eróticos do Velho Testamento”.
Todavia não posso deixar de mencionar que há excepções a essa indiferença. Existem críticos conhecedores, atentos e generosos, como Carlos Pinto Coelho que sempre divulgou os meus livros no seu magnífico programa televisivo “Acontece” o qual, por ser uma pedrada neste charco, foi abatido. Porém, essa honra ainda hoje me serve de incentivo para continuar a escrever.
Deana Barroqueiro
http://deanabarroqueiro.wsmcafe.com
Editora livroshorizonte@mail.telepac.pt

1 de maio de 2005 às 15:31  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Numa oferta da autora aos leitores deste blogue, o conto «OS REVESES DE LOT», do livro «Contos Eróticos do Velho Testamento» (referido num outro post), pode ser enviado a quem o pedir:
Basta mandar um mail para medina.ribeiro@netcabo.pt indicando, em «Assunto», «Conto». São 10 páginas, em formato Word (59 k).

1 de maio de 2005 às 18:38  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Esse conto acabou por ser afixado em "Comments" no post do dia 1 de Maio 05

2 de maio de 2005 às 22:45  

Publicar um comentário

<< Home