22.1.07

Outra forma de pobreza


Desde garoto que este museu me fascina, e sucede que, de cada vez que lá vou, o vejo com novos olhos.
É extremamente interessante, e nele não escasseiam motivos de atracção, mesmo para quem não se entusiasme com armas: quadros de Columbano, Malhoa, Carlos Reis, Manini...; esculturas de Soares Branco, Teixeira Lopes...
O espaço é amplo e agradável, e os expositores são cuidados e com legendas (detalhadíssimas) em Português, Francês e Inglês.

Para ser perfeito, só lhe falta uma coisa: visitantes.
Estive lá na 6ª feira passada entre as 14h30m e as 15h30m e, durante todo esse tempo, o único visitante fui eu!
De facto, há dois tipos de pobreza: "não se ter o que se precisa" e "não se dar valor ao que se tem"...
-
Horário: das 10h às 17h; encerra às 2ªs feiras e feriados. Preço: €2,50 (com as "borlas" habituais).

2 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Curiosidade:

Numa sala dedicada à 1ª Grande Guerra diz-se que a expressão "Ir aos arames" tem origem no facto de alguns infelizes soldados serem mandados reparar o arame farpado destruído pelos bombardeamentos.

22 de janeiro de 2007 às 12:23  
Anonymous Anónimo said...

É uma grande verdade.

22 de janeiro de 2007 às 16:25  

Enviar um comentário

<< Home