8.5.09

Um Natal Ecuménico

Por Maria Filomena Mónica
ESTÁ O LEITOR A PAR do dia exacto em que nasceu o Menino Jesus? Se a sua resposta for afirmativa, provavelmente está enganado. A descrição da Natividade aparece, sem data, nos Evangelhos de S. Mateus e de S. Lucas. Até ao século IV D.C., em toda o mundo cristão, a festividade era celebrada na Epifania (6 de Janeiro) como ainda o é nos círculos ortodoxos. A data em que os portugueses celebram o Natal, 25 de Dezembro, deve-se ao desejo da Igreja Romana substituir um ritual devasso, as saturnais, festejado por esta altura. Por razões que a seguir explicarei, esta indefinição cronológica do Natal convém-me.
Quando era menina e moça, só havia um Natal, o da Missa do Galo. (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Muito provavelmente, as saturnais estavam relacionadas com o solstício de Inverno, festejando o facto de os dias começarem, a partir daí, a crescer.

Também ouvi dizer que, sendo dias de grande paródia para os romanos, a perseguição aos cristãos afrouxava, sendo, portanto, uma boa altura para estes se reunirem e comemorarem o nascimento de Cristo.

Talvez haja alguma verdade nisso...

8 de maio de 2009 às 10:41  
Blogger JSA said...

Eu já festejo o Natal ecumenicamente, a 24 de Dezembro e a 6 de Janeiro, por a minha mulher ser ortodoxa. Se bem que eu sou ainda mais ecuménico: a minha família é maioritariamente católica, a da minha mulher ortodoxa. Eu sou ateu. para mim o Natal é uma espécie de festa de família, não mais (nem menos).

8 de maio de 2009 às 14:14  

Publicar um comentário

<< Home