4.5.11

Só visto, contado não se acredita

Por Helena Matos

FRANCISCO Assis: “Não podemos entrar em clima de euforia”. Durante mais de um ano negaram a crise. Celebraram contratos que sabiam não poder cumprir. No dia em que se tornou incontornável que não havia dinheiro sequer para pagar salários fizeram finalmente o pedido de ajuda externa. Ou melhor dizendo o ministro das Finanças fez esse pedido à revelia do PM que dizia que jamais o faria. E agora depois de chegarmos a esta miséria em enormíssima parte por culpa deles que governaram como quiseram vêm apresentar não só este acordo como uma vitória do governo como ainda nos dizem que não podemos entrar em euforia, como se a crise tivesse acabado? Mas que mal fizemos nós aos deuses para termos de aturar este calvário??
In «Blasfémias»

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger António Viriato said...

Tem toda a razão no raciocínio exposto. Só um auditório de débeis mentais ou de acólitos adrede estipendiados pode acolher tanta patranha produzida pela Central de Propaganda Socrática, com perdão do adjectivo de nobre ressonância helénica.

Dentro de um mês, comprovaremos a sanidade mental do eleitorado. Apesar dos indícios sombrios, acredito na reserva de escrúpulo moral do povo português.

Mas se tal não se verificar, então adeus Democracia...Pode mesmo vir a descansar em Paz.

4 de maio de 2011 às 23:57  

Publicar um comentário

<< Home