15.1.14

Meta dos Leitões e a meta do défice

Por Ferreira Fernandes 
Contaram congressistas do CDS que, atravessando a região da Bairrada, foram à Meta dos Leitões. Eram 15 e pagaram uma conta de 19, protestaram e receberam, dizem, esta explicação do patrão: se são do Governo que nos rouba, "então, para me defender eu também os roubo a vocês". 
Vou analisar essa versão dos congressistas. Temos, então, que o povo sente-se metido no espeto e assado, e considera que foi o Governo que os meteu nesta mealhada. Na verdade, quem abusou da meta do défice não pode agora queixar-se do abuso do Meta dos Leitões. Para 2013, estava acordado que a meta do défice orçamental era de 4,5 por cento - mas vai passar os 5 por cento. Podem dizer, "são décimas" - mas está errado. Por isto: metae (singular meta) eram os marcos nos circos romanos que limitavam as pistas onde corriam as quadrigas. Não podiam nunca ser ultrapassados! Mas, em vez das regras do significado das palavras, os políticos habituaram-se às regras da Federação de Atletismo: quando veem uma meta sentem-se obrigados a passá-la. No melhor dos casos, como maratonistas, desfalecendo logo a seguir, "em décimas"; mas, tendo eles dado o exemplo, o povo imita-os e ultrapassa-os, aumentando a conta do leitão em 25 por cento. 
A metalinguagem do comerciante teria estragado o metabolismo pacato que os congressistas esperavam ter no Meta dos Leitões. Em vez disso, talvez tenham assistido a uma metáfora sobre a metamorfose dos comerciantes em relação ao CDS.
«DN» de 15 Jan 14

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger lino said...

A meta dos leitões é serem porcos. Os tais congressistas já ultrapassaram essa meta há muito tempo.

15 de janeiro de 2014 às 16:26  

Publicar um comentário

<< Home