24.1.14

Quem tem capa sempre escapa?

Por Ferreira Fernandes 
No dia seguinte à tragédia do Meco, escrevi aqui sobre a irresponsabilidade dos comentários (de facto, bitaites) que não respeitavam a obrigação do silêncio quando nada se podia ainda saber sobre um acontecimento tão doloroso. Era tempo de silêncio. Agora, quase mês e meio depois, o que choca é o prolongamento do silêncio. Começaram a pingar indícios de que as mortes estão relacionadas com praxes académicas. 
As praxes conduzem demasiadas vezes a um tipo de relacionamento doentio entre quem manda e quem obedece - esse é um facto público, até pelo despudor com que os seus protagonistas o trazem para as ruas e fazem com ele cortejos. Numa tragédia em que seis subalternos morrem e o único sobrevivente é o chefe ("dux", na terminologia do grupo), há fortes razões para tirar a limpo se o que ocasionou a tragédia foi acidente ou foi ter-se colocado as vítimas em perigo, deliberadamente, em nome das famigeradas praxes. Não sei como os códigos legais vão classificar essa ação - se é crime ou não -, o inquérito policial irá dizê-lo. Mas a comprovar-se que foram as praxes que levaram os seis para o mar ou perigosamente para junto ao mar, a sentença social só pode ser uma: há que extirpar as imbecis praxes de um lugar, a universidade, feito para cultivar a inteligência. Que me desculpe o direito à tanga da "amnésia seletiva" que o "dux" pode ter, mas o tempo, agora, não é de silêncio. Nenhum código de seita vale seis mortos. 
«DN» de 24 Jan 14

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger José Batista said...

Extirpar. É o verbo.

Concordo e aplaudo (tanto quanto me é possível...).
Mas, antes de aplaudir, exijo, tanto quanto posso.

Por um mínimo de decência e dignidade.
E porque as universidades (até mesmo aquelas que não merecem o nome) não podem ser um meio de cultura da bestialidade.

Basta!, que o número de mortos não se fica apenas pelos seis...

24 de janeiro de 2014 às 22:32  
Blogger brites said...


se todos concordaram, todos são responsáveis.
infelizmente não puderam ou não quiseram perceber todas as consequências das suas loucuras. foram ingénuos, imprevidentes ,soberbos?

a capa é o símbolo do nosso atraso social e cultural.
de alg. modo somos todos responsáveis

26 de janeiro de 2014 às 09:38  

Publicar um comentário

<< Home