24.12.19

No "Correio de Lagos" de Dez 19

Há uns anos, a CML pôs em prática, com o apoio da EDP, um “Plano de Contenção Energética” cujo resultado mais visível consistiu em desligar cerca de 30% dos candeeiros públicos; mas Salgueiro Maia, talvez por ser figura pública, teve direito a um desconto de 50%, pelo que viu ser desligado um dos dois holofotes no monumento que a CML lhe erigiu no 30º aniversário da Revolução — ficou a ser iluminado apenas pela “esquerda”, o que, vendo bem, tem toda a lógica. 
Talvez tenha sido também por economia que se omitiram as inscrições 1944-1992, quer nas placas toponímicas (da rua com o seu nome), quer no próprio monumento. 
Quanto às coroas de flores, também deve ser por contenção que primam pela ausência, dando razão a quem diz: “Poupar nos tostões como se fossem milhões, para gastar milhões como se fossem tostões”. 

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

É preciso poupar para a crise que já não está longe.

Venho desejar um bom Natal

24 de dezembro de 2019 às 13:55  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Bom Natal para si, também

24 de dezembro de 2019 às 18:10  

Publicar um comentário

<< Home