28.7.06

«Quantos são? Quantos são?» ou:«São mesmo "precisos"?»

ATÉ HÁ POUCO tempo, quando se queria saber quantos funcionários públicos havia, era necessário aceitar a expressão MAIS OU MENOS; mas, como não há fome que não dê em fartura, agora já conhecemos a resposta com um rigor milimétrico: 580291.
Na mesma altura, a Direcção Geral do Orçamento informava-nos que, no primeiro semestre deste ano, o seu número tinha aumentado em 10166; mas, pouco depois, o Senhor Ministro das Finanças corrigia: ele tinha era diminuído de 4345 unidades.
Vemos, pois, que a escrupulosa exactidão do IGUAL convive com a do MAIS e a do MENOS na luta contra o tão português MAIS-OU-MENOS - uma realidade um pouco confusa que faz lembrar uma velha cantilena do Solnado, que tinha um estranho refrão:

«Vale mais o mais-ou-menos do que mais - que menos não pode ser!».

1 Comments:

Blogger Bernardo Moura said...

Grande frase da "cantilena" de Raul Solnado!

29 de julho de 2006 às 17:14  

Enviar um comentário

<< Home