15.1.14

Contributos para o debate sobre a calçada portuguesa (7)

Rua de São Ciro (à Lapa)
Numa manhã de sábado, dia de estacionamento gratuito e abundante lá na zona...

3 Comments:

Blogger jose said...

Subir passeios quando se tem lugar de estacionamento claramente indicado é demonstração de desenvoltura mental.É resistência à opressão social.É ginasticar os pneus e suspensão do automóvel,combater a obesidade dos mesmos,poupar na oficina.Só vantagens para o proprietário.Esburacar os passeios por estacionamento indevido é também muito vantajoso para quem tiver dificuldades de locomoção(se cair levanta-se)e encostar os passantes à parede ou obrigá-los a ir para a estrada(o seu verdadeiro lugar)é testemunho de saudável convivência com os semelhantes.

15 de janeiro de 2014 às 19:08  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

A foto é de 30 de Novembro, sábado.

Tenho outras, da mesma rua, tiradas em 2010 (e também a um sábado), e que são em tudo semelhantes a esta.

15 de janeiro de 2014 às 20:16  
Blogger Agostinho said...

Penso que estamos perante uma tendência para mudança.
E se se fizesse uma alteração ao código de estrada? As viaturas passavam a circular nos passeios e os peões no centro da via.

Não percebo de política urbana, de transportes, de desenvolvimento. Parece-me no entanto que, nas sociedades ditas desenvolvidas, há uma tendência para a adoção de medidas estúpidas de regresso à idade da pedra. No passado, na cidade, criaram-se passeios para que os peões circulassem em segurança; depois, subiram-se lancis (não o suficiente para jeeps e viaturas análogas); a seguir, colocaram-se pilaretes em ferro e betão (são deitados abaixo ou torneados). Que fazer para resolver o problema? Seguindo a tendência involutiva há uma solução estúpida, tal como as anteriores: rebaixem-se as faixas de rodagem 1 metro (fazê-lo às construções é mais difícil).
A solução correta e inteligente seria voltar aos passeios iniciais e aplicar mão de ferro a quem se atrever a prevaricar. Por outro lado, se os poderes, governo e autarquias, gostam tanto de automóveis, para receberem impostos, então criem espaços de estacionamento suficientes, os automobilistas pagam impostos mais do que suficientes para que isso seja feito, e poupava-se muito dinheiro em obras de reparação e de requalificação, tão na moda, com a panóplia de artefactos parvos que constituem autênticas ratoeiras para os transeuntes. Os automobilistas poupavam em multas, pneus, jantes e suspensões.
O mais difícil é encontrar políticos capazes.

15 de janeiro de 2014 às 22:59  

Publicar um comentário

<< Home