27.11.06

Amostras de quatro músicas do novo disco

2 Comments:

Blogger Zé Oliveira said...

Olá.
Andei a dar uma volta aqui pelo sítio (que o Ferreira dos Santos me tinha recomendado) e encontrei uma correcção para asneira de uma frase que está certa.

Num post acerca do Princípio de Peter, aparece uma capa de livro com esta frase: "Por que corre sempre tudo mal". Pois bem, a frase está escrita correcamente.
Foi "corrigida" por quem PENSA QUE sabe, mas... não sabe. POR QUE e PORQUE são coisas diferentes.
Na frase em questão, se se escrevesse "Porque corre sempre tudo mal", estaríamos a dar à frase um sentido conjuntivo, coisa que não faria sentido. Estaríamos a dar uma resposta a uma pergunta que não existe nem se subentende. Naquela capa de livro, a palavra POR é prepositiva. Trata-se de uma preposição causal. A frase pretende dizer que o livro promete explicar POR QUE corre sempre tudo mal. Há palavras subentendidas que ali não aparecem; são as que seguem entre parêntesis: "Por (causa de que é) que corre sempre tudo mal". É uma frase com carácter interrogatório.

Um exemplo de frase onde se utiliza "POR QUE" e "PORQUE":
"Vou dizer-te por que bebo; é porque tenho sede".

Mais fácil: Pergunta-se em separado (Por que) e responde-se numa só palavra (Porque). Pergunta: "Por que vais?) Resposta: "Porque são horas".

Infelismente há por aí muitas mais confusões desta natureza. Se não e senão, tenho que e tenho de... etc etc.

Abraço

27 de novembro de 2006 às 23:53  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Zé Oliveira,

O assunto dos "porque" e dos "por que" já aqui foi abordado algumas vezes.

No "post" seguinte faz-se um resumo e dão-se as respostas de três linguistas.

28 de novembro de 2006 às 09:58  

Publicar um comentário

<< Home