18.11.10

A Noruega e as mesquitas

Por C. Barroco Esperança

SE HÁ CONQUISTA de que a Europa se possa orgulhar é a da liberdade religiosa, liberdade que inclui o direito de ter ou não ter religião e a de renegar ou combater qualquer crença pelos meios que pautam as democracias.
Esta conquista deve-se à repressão política sobre o clero e não à vontade das diversas religiões. O secularismo tornou obsoletos os livros ditos sagrados e fez da Declaração Universal dos Direitos do Homem a referência para a acção dos cidadãos que defendem o pluralismo e o livre-pensamento.
Apesar do carácter totalitário e do proselitismo das religiões do livro, hoje com peculiar agressividade do islamismo, apesar da marca xenófoba, racista, violenta, homofóbica e vingativa do deus do Antigo Testamento, onde os três monoteísmos se inspiram, a Europa garante aos crentes – como deve –, a liberdade das suas práticas religiosas. (...)

Texto integral [aqui]

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Sepúlveda said...

Valentia de um país que tem produção de petróleo não vale assim tanto.
E os ambiciosos americanos não são tão directos porque a Arábia Saudita é sua aliada (deve ser pelo enorme respeito pelas liberdades e direitos do Homem).
Mas devia ser mais como os noruegueses em todo o lado.

19 de novembro de 2010 às 19:47  

Publicar um comentário

<< Home