17.7.12

Lá vamos cantando e rindo

Por Ferreira Fernandes
BANDIDOS! Não lhes custa a ganhar, por isso o gastar é à fartazana. 22 milhões, quais 22?, mais, 22,58 milhões, isso sim. E por uma invenção! Gripe das aves, tá bem, tá, patos fomos nós todos. Qu'ela vinha aí, era mortos por todo o lado, vai daí tinha de se comprar o tal Tamiflu... Viste a gripe? Viste-la? Pois, e também não viste os laboratórios a untar certas mãos... E agora as vacinas vão para o lixo. Olha aqui o título do "Correio": "Negócio secreto." Epidemia da treta! Agora, são as desculpas do costume: que era a Organização Mundial de Saúde a garantir que a gripe era certa. Mas, claro, o que ninguém disse é que a OMS estava feita com os lambões lá do ministério. Bandidos! [Excertos de conversas de café, ontem, tendo tudo passado como se passou, sem grande gripe. 
Segue-se outro cenário.] Bandidos! Os gajos e a família deles, claro, tiveram a vacina. Agora o povo que se amanhe, não há vacina pra ninguém. Mortos por todo o lado, mas são só pobres, não é? E não foi por falta de aviso, a OMS, a própria OMS!, fartou-se de dizer: olhem que esta gripe é ainda pior do que a outra, a espanhola... A OMS, a maior autoridade mundial no assunto. Bastava pouco mais de 20 milhões e estávamos safos... Mas não, pouparam à nossa custa! Este título do "Correio" apetece-me esfregar nas trombas do ministro: "Incúria do Governo mata milhares!" [Excertos de conversas de café, que não aconteceram, nem o título do jornal, porque a gripe também não.] 
«DN» de 17 Jul 12

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger Paula said...

e calma.. que ainda vão desencantar maneira de vender os stocks. Uma gripe da sardinha ou algo do género. "ataca as crianças e mata em 48h se não der o tamiflu" e a malta, aterrorizada (sempre a velha técnica do medo, eficientíssima!), compra e pronto.. problem solved!

17 de julho de 2012 às 14:43  
Blogger José Batista said...

Bom, objetivamente as vacinas sobraram e muita gente não as quis tomar, incluindo médicos e enfermeiros, que fizeram questão de o afirmar publicamente.
Essa é que é essa.
E não aconteceu nenhum drama.
Isto foi o que se passou.

Por isso me inclino para a hipótese da Paula. Mas não aplicada à sardinha que os pescadores portugueses (ainda) vendem, que para esses não há campanhas favoráveis. Nem mesmo das batoteiras. Que também não se desejam.

17 de julho de 2012 às 17:35  

Publicar um comentário

<< Home