7.1.14

Já que toda a gente, por estes dias, fala de Eusébio, aqui fica uma pequena estória passada comigo:
No Carnaval de 1963 (se não me falha a memória) saiu a sorte grande ao maluquinho do Benfica que eu era nessa altura: no Cinema Tivoli, onde estava a carnavalar, deparei-me, num átrio e durante um intervalo, com uma mão-cheia de ídolos meus: Santana, Simões, Eusébio...
Depois de vencer a timidez própria da idade, lá consegui estes dois autógrafos - os únicos, pois, para minha grande frustração e perplexidade, houve quem me negasse o seu.

1 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Se não me falha a memória, isto foi a seguir ao jogo em que o Benfica perdeu com o Santos (de Pelé) a Taça Intercontinental, levando 5-2 no Estádio da Luz, em jogo a que eu assisti (mas só até aos 5-0!).
Os golos que o SLB marcou ficaram a crédito de Santana e de Eusébio, quase no final do jogo.
Numa altura em que, para mim, o Benfica era a coisa mais importante do mundo, imagine-se a alegria que foi falar com aqueles craques, e a frustração que tive quando Santana me disse que "não era ele"!
Logo a seguir o intervalo acabou, e trouxe para casa, apenas, os autógrafos que aqui se vêem, e que ainda hoje guardo religiosamente!

7 de janeiro de 2014 às 19:08  

Publicar um comentário

<< Home