31.5.06

Importam-se de explicar?

PELO que ouvimos hoje na TV, a AUTORIDADE da Concorrência multou a Ordem dos Médicos.
Só que esta, pela voz do seu nervoso bastonário, veio informar quem esteja interessado em saber que «não pagará JAMAIS» a multa. Ah! E aproveita para esclarecer que tem mais legitimidade do que o autuador.
Até aqui, é apenas a habitual conversa-de-galispo em que os portugas são tão pródigos.
Mas o que torna a rábula verdadeiramente confusa é o que vem depois: a crer nesta notícia do «Público», os factos a que a multa se refere já não existem há quase um ano...

7 Comments:

Blogger A.Teixeira said...

Também fiquei confuso com o facto, mas, por outro lado, as aparições televisivas do bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, dão a entender que, se não estão em vigor, ele tem muita pena!...

31 de maio de 2006 às 23:06  
Blogger António Viriato said...

Ó Meu Caro Medina, então também você já aderiu a essa auto-flagelação, identificando os seus compatriotas pelo termo que outros costumam usar para vulgarmente os insultar ou depreciar ? Francamente, com tais amigos, quem precisará de inimigos ?

1 de junho de 2006 às 01:02  
Blogger Filipe Baldaque said...

Dois aspectos:

A sério:
1. A Ordem dos Médicos não deve controlar preços para garantir qualidade, mas sim garantir a qualidade independentemente do preço.

A brincar.
2. a próxima multa da AdC vai para a PSP e GNR que tem tabelas de preços mínimos e máximos para as multas de trãnsito!!!

E esta hem?

1 de junho de 2006 às 01:41  
Anonymous Xelb said...

Se quer mais coisas engraçadas sobre Ordens, veja o que se passa na dos Arquitectos em relação à inscrição dos novos licenciados.

1 de junho de 2006 às 02:02  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Amigo António Viriato,

Talvez seja por eu ainda não estar completamente acordado, mas o certo é que não compreendo muito bem a sua crítica.

O problema é que não percebo nada do que se está a passar - e parece que não sou só eu.

As explicações do bastonário (as únicas que se ouvem) são extremamente confusas, e ele, ontem, brilhou mais pelo nervosismo e pela arrogância do que pela clareza que se impunha.

Parecia, como digo, um galispo, a dizer que não pagaria a multa jamais (!),e que Abel Mateus não percebe nada do assunto.

Essa constatação não tem nada de auto-flagelação (??), muito menos de insulto.

1 de junho de 2006 às 08:48  
Anonymous CC said...

Amigo Carlos,

Se bem percebi, a "crítica" seria por ter utilizado o termo "portuga".

1 de junho de 2006 às 10:55  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

CC

Sim, mas eu chamo "portugas" apenas à PARCELA de portugueses que reagem dessa forma:

«Eu?! Pagar a multa?! Isso é que era bom! O gajo não percebe nada disso!»

Pelo que ouvi (e, novamente, no RTP-N), o bastonário aparece-nos com essa conversa de "portuga" que o Mário Zambujal (já que aqui falamos dele) tão bem retrata.

Posso estar a ver mal, mas é a ideia com que fiquei "da coisa".

1 de junho de 2006 às 11:21  

Enviar um comentário

<< Home