28.2.07

Professores

SEI DE PROFESSORES que sentiram inveja ao conhecerem a frase com que Nicolas Sarkozy sintetizou a noção de respeito e hierarquia moral que gostaria de implantar durante a sua muito provável presidência da França: “Quero uma França em que os alunos se levantem quando o professor entre na sala de aulas”, disse ele.
Julgo que a inveja destes professores, de diversas nacionalidades, reside na admiração da coragem dum discurso destes, por um candidato para quem as palavras têm valor e que não se permite fazer discursos balofos e mentirosos de falsas paixões.
Também em Espanha, Esperanza Aguirre anunciou que vai proibir o uso do telemóvel na Escola e banir as consolas de vídeo-games. Duvido que alguém se interesse por isto em Portugal, com a ânsia de manter a popularidade entre os jovens e com o receio de que lhe chamem fascista.
Na nossa escola, tal como a puseram e assim como está, não há o risco do professor ter de se esforçar, nem se desfaz a comodidade da ausência de conhecimento, que corre paralelamente à indisciplina, tudo generosamente proporcionado por planos educativos baseados na pedagogia da banalidade e da vulgaridade.
«25ª HORA» - «24 horas» de 27 Fev 07

Etiquetas:

1 Comments:

Anonymous odete pinto said...

Oxalá a moda pegue por lá porque talvez assim chegue cá.
Respeito e disciplina nunca poderão ser considerados fascimo mas sim irresponsabilidade, inépcia e laxismo, para mal dos nossos jovens e dos professores.

28 de fevereiro de 2007 às 18:01  

Enviar um comentário

<< Home