14.10.08

Idade Média

Por Joaquim Letria
AINDA NÃO HÁ MUITO TEMPO que, perante o descrédito dos políticos, restavam aos portugueses a Instituição Militar, a Igreja e a Justiça para sentirem alguma segurança. Hoje, perante o vexame consentido dos militares, mais a desorientação pouco honrosa da Justiça, resta-nos a Igreja. Haja Deus!
Entre tantas outras, a última da Justiça, de bradar aos céus, é a validação da morte civil dum portador do vírus HIV. Não se pode chamar outra coisa ao acto de impedir um cidadão de angariar o seu sustento, proibindo-lhe o trabalho, retirando-lhe o salário, limitando-lhe o convívio, impedindo-lhe seguros de saúde e recusando-lhe compromissos bancários.
Condenar um cidadão à mão estendida à caridade, desprezando pareceres clínicos a atestarem não haver risco da transmissão da doença, não é próprio do nosso tempo. Condiz com o pior da Idade Média. Mas a decisão é recente e foi tomada pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ) que funciona no Terreiro do Paço.
«24 horas» de 14 de Outubro de 2008

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

Tudo muito bonito. Mas quantos irão comer ao restaurante onde o homem trabalhava sabendo que ele está na cozinha?

14 de outubro de 2008 às 14:02  

Publicar um comentário

<< Home