20.12.08

A crise no Chiado

Por Antunes Ferreira
É MESMO NA ESQUINA da Rua da Misericórdia com o Camões. Lá está sedeado o negócio do Senhor Muhamad. Disse-me um empregado da pastelaria que ali existe que o cidadão é do Banga não sabe quê. Ou do Bonga, como os sumos. Dada a cor da epiderme do Senhor Muhamad, o seu cabelo negro escorrido e outros dados antropomórficos, tenho para mim que o país em causa deve ser, sim, o Bangladesh.
É uma empresa indiscutivelmente comercial. E sazonal. Passo a explicar. O sujeito é o proprietário de uma carrinha de madeira, rodas tipo pneu de bicicleta, sem motor, sequer mesmo auxiliar. A energia é a do marchante, ainda que pareça não ser muita. Quiçá, a suficiente. Para ser mais exacto, do pedalante. O homem enfiou um barrete – de Pai Natal, dando origem a uma curiosa confrontação entre o vermelho e o branco do gorro e a tez morena carregada do utente.
(...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Jacinto Rato Mascarenhas said...

Os imigrantes em Portugal são aquilo que eram os portugueses dos anos 60: fazem o que nós não queremos fazer. Se virmos bem, os bidonviles eram os "antepassados" dos nossos bairros de barracas e os guetos são iguais.

Mas também não nos podemos esquecer que são os imigrantes que estão a rejuvenescer o nosso País.

Por isto e por mais, sejam benvindos imigrantes. Sobretudo os que não se dediquem a actividades criminosas.

21 de dezembro de 2008 às 08:21  

Publicar um comentário

<< Home