13.6.09

Passatempo-relâmpago


JÁ AQUI se referiu que é muito irritante chamarem-nos a votar em eleições europeias ou autárquicas e depois dizerem-nos que, afinal, o nosso voto foi a favor ou contra o governo em funções - tendo até havido quem tirasse ilações do mesmo teor nos referendos acerca da regionalização e do aborto!
No entanto, não vale a pena ignorar que há, de facto, uma grande percentagem desses votos enviesados, pelo que já anda muita gente a fazer contas, transpondo os resultados das europeias para as que aí vêm; e é acerca do possível-futuro papel do BE num acordo com o PS que o Expresso de hoje disserta, num pequeno texto cujo título se vê à esquerda.

Ora, como já se percebeu, o título da obra cuja capa aqui se mostra está relacionado com isso, pelo que o livro será atribuído ao primeiro leitor que o identificar. No entanto, e como a resposta pode ser demasiado fácil, os comentários só serão desbloqueados num momento-surpresa, durante o dia de hoje. Se, depois disso, a resposta certa demorar a surgir, serão divulgadas sucessivas imagens, em que estarão visíveis cada vez mais palavras.

Actualização (15h58m): a resposta certa já foi dada, como se pode comprovar [aqui].

4 Comments:

Blogger Mg said...

Queres crescer e depois não cabes na banheira.

13 de junho de 2009 às 15:55  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Bem...

O 'Mg' nem me deixou respirar!

A resposta está certa, e vou afixar, em 'actualização', o link para a imagem completa da capa.

13 de junho de 2009 às 15:56  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

NOTA:

O leitor Manuel Pessanha também deu a resposta certa.

Enviou-a por mail, mas muito antes do "tiro de partida", que era o momento de desbloqueio dos comentários.

De qualquer forma, aqui fica a justa referência.

13 de junho de 2009 às 16:16  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Em 10 de Maio, quando o PS pensava que ia ganhar as europeias, Sócrates disse:

«O que estará em causa não é apenas a avaliação do Governo mas também a avaliação de uma oposição que ao longo destes quatro anos não foi capaz de produzir uma alternativa».

Na noite de 10 de Junho de 2009, já disse:

«Nestas eleições não perguntaram aos portugueses acerca do Governo e do futuro, essa pergunta será feita nas próximas eleições legislativas. É um pouco cedo, é um abuso que os partidos queiram transformar as eleições europeias em legislativas. Essa pergunta virá e nessa altura ver-se-á o que é que os portugueses querem.»

-

(Informação recolhida no BLASFÉMIAS)

13 de junho de 2009 às 19:36  

Publicar um comentário

<< Home