28.3.19

Apontamentos de Lagos

Desde Setembro de 2017 que, devido às obras no museu Dr. José Formosinho, a entrada para a Igreja de Sto. António se faz pela porta lateral, subindo dois lances de degraus, intercalados por um patamar onde se situa a bilheteira. Sucede que, como aqui já foi dito e redito, o DL 163/06 obriga a que sejam tidas em conta as necessidades das pessoas com mobilidade reduzida pelo que, além da referência que Joaquim Letria fez ao assunto no programa “A Tarde é Sua”, da TVI, ele tem sido acompanhado, com interesse e preocupação, pela Associação Portuguesa de Deficientes. No entanto, e como a última informação disponível é que o assunto estava a ser “estudado/tratado”, tomamos a liberdade — se ainda formos a tempo... — de informar os “estudantes e tratadores” de não é preciso “inventar a roda”, pois existem no mercado rampas já feitas, com as mais diversas formas e medidas, inclusivamente em versões leves e (des)dobráveis. 
 NOTA: As fotos são já deste mês. Repare-se que, enquanto na Igreja ainda é possível alombar com carrinhos de bebé pelas escadas acima e abaixo, o mesmo já não sucede com as cadeiras de rodas, cujos utilizadores têm sido privados do seu direito básico de aceder àquilo que é um Monumento Nacional que, portanto, também é seu. 
Colaboração no CORREIO DE LAGOS de Março 2019

Etiquetas: , ,

1 Comments:

Blogger Ilha da lua said...

Agem,como se fossem os Donos Disso tudo! Uma tristeza...

28 de março de 2019 às 18:17  

Publicar um comentário

<< Home