3.2.20

No "Correio de Lagos" de Jan 20

Aquilo que, há 4 meses, nos levou a mostrar a imagem de cima foram os 6 ferros que, nestes dois passeios, estavam sem o “cogumelo” de protecção (mas com as inevitáveis fitinhas voadoras que dão sempre alguma graça às obras na via-pública). Nessa altura não se disse, mas intervenção em causa destinava-se a abolir essa passadeira (devendo os peões passar a usar uma outra, um pouco mais a poente), o que implicou pintar de negro as faixas brancas e “encher” o rebaixamento existente no separador central. 
Pois bem; a tinta preta começou a sumir, depois disso já foi reposta, mas o problema é o que está por baixo: não é alcatrão, mas sim massa branca. Ora, e tendo esta alguns milímetros de espessura, a menos que seja removida, tudo aquilo ficará sempre com o aspecto de passadeira para peões, seja qual for a cor da tinta que lhe metam em cima. Actualmente, e porque dá muito jeito, continua a ser usada por quem ali quer atravessar a Avenida, e até os condutores param para os deixar passar! . 

Etiquetas: ,

4 Comments:

Blogger José Batista said...

Olhando para a imagem, vê-se sempre uma passadeira: pintada a preto, primeiro, e «grisalha», depois. Aquilo pode representar algum perigo para a segurança das pessoas (porque haverá automobilistas que sabem que já não é uma passadeira e peões que o ignoram) e uma perturbação para o trânsito. Tudo porque não fazemos o que devíamos como devia ser feito.

3 de fevereiro de 2020 às 21:45  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

JB,
Sim, aqui em Lagos as intervenções na via pública são assim.
Ou são mal feitas, ou demoram uma eternidade, ou ficam incompletas.

4 de fevereiro de 2020 às 09:34  
Blogger Bmonteiro said...

Very typical, very portuguese typical.

4 de fevereiro de 2020 às 19:33  
Blogger Ilha da lua said...

Não é só em Lagos...Se cada munícipe fosse CMR ,os autarcas seriam mais escrutinados

4 de fevereiro de 2020 às 21:42  

Publicar um comentário

<< Home