24.1.20

Portugal está à venda

Por Joaquim Letria
A economia portuguesa e aquilo que seja que ela vale está à venda. Os activos que passam de mão portuguesa para controle estrangeiro não param.
Só em Dezembro a Altice desfez-se de metade da sua rede de fibra óptica, entregue à Morgan Stanley Infraestructures. O grupo Vasco de Melo e o seu parceiro Arcus vão vender 80% dos seus direitos de voto na Brisa. A EDP vendeu seis barragens a um consórcio de empresas francesas liderado pela Engie. E ainda e também a Altice transferiu para um grupo do Bahrein 85% da gestora dos fundos de pensões da TLP, da Marconi e da TDP.
O alívio das dívidas das empresas portuguesas e o regresso da confiança são um desengano. Portugal está à venda.   
Após a terrível destruição da riqueza nacional da era de Sócrates e da troika, incluindo a entrega da PT e do capital nacional da EDP, mais a banca, hoje dos espanhóis ou dos angolanos, o Estado português continua a sangrar recursos.
Aqueles que gerem isto tudo ou não sabem negociar ou deixam que os enganem, sem contrapartidas que desconhecemos ou outras que venham, mais tarde, a ser descobertas.
Gostava que os homens de negócios, os patrões portugueses, pudessem ter acesso a tudo isto e pudessem ficar com a nossa riqueza nacional e estratégica nas suas mãos portuguesas.
Mas será que lhes facilitam essa abertura, que lhes abrem as vias de acesso para alcançarem semelhante objectivo e para que assim seja?
Oxalá assim fosse. Infelizmente, tenho muitas dúvidas, o que é lamentável. Queira Deus que assim pudesse ser, para bem de todos nós.
Publicado no Minho Digital

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Ide levar no déficite ide said...

portugal sempre esteve à venda, mudamos é de mãos agora

24 de janeiro de 2020 às 11:58  
Blogger Luciano Gomes said...

Oh Sr Joaquim Letria, então a portuguesíssima Altice que vender ou vendeu partes da nossa querida PT? A PT que fizeram quase o favor de comprar? E os lusitanos da EDP também vender jóias da Pátria? Gostava que os patrões portugueses tivessem "facilidades" a esses patrimónios? Mas ele, o Património, não lhe foi já entregue, depois de engordado, nos anos 80 e 90?
Os portugueses se quiserem ter Património, Capital,têm que poupar, sem Poupança não há investimento a não ser através do endividamento, isto nem é bem uma lei da Economia mas da Aritmética..

9 de fevereiro de 2020 às 09:52  

Publicar um comentário

<< Home