26.9.05

O Equinócio

O VERÃO terminou e o Outono começou. Foi o equinócio de Outono que teve lugar no dia 22 de Setembro, pelas 23 horas e 23 minutos, segundo a hora legal de Lisboa. Tal precisão é impressionante, mas já estamos habituados a números impressionantemente precisos. Na era dos computadores, satélites e raios laser, não há número que nos surpreenda.

O que continua a ser impressionante, pelo menos para muitos, é como foi possível, na pré-história e depois na Babilónia e na Grécia calcular com precisão os equinócios. Afinal, trata-se das datas em que a duração do dia é igual à da noite. Como seria possível medir isso sem um relógio?

Os solstícios são datas mais fáceis de determinar. Pensemos, por exemplo, no solstício de Inverno, que tem lugar daqui a três meses. É o dia em que o Sol do meio-dia atinge a sua altura mínima. Imagina-se o homem pré-histórico olhando para a sombra de um menir e medindo-a ao longo do ano. Ou olhando para o local onde o sol se põe (ou nasce) e vendo quando esse ponto no horizonte está mais a sul.

Para determinar o equinócio é preciso encontrar o dia intermédio entre dois solstícios, medir a duração do dia ou da noite, saber para que estrela o sol exactamente aponta na data, ou determinar os pontos cardeais leste e oeste com grande precisão. Alguém tem ideia da forma como na pré-história se determinavam os equinócios? Há várias teorias, mas nenhuma delas seguramente fundamentada.

Um exercício de modéstia será imaginar hoje umas dezenas de mulheres e homens cultos, isolados numa ilha. Se entre eles não estiver ninguém versado em astronomia, quantos anos demorariam a determinar com precisão um equinócio?

(Adapt. do Expresso-online)

2 Comments:

Anonymous antónio filipe fonseca said...

Como se sabe que na pré-história já sabiam o momento exacto do equinócio? Se é pela disposição de alguns vestigios é porque concerteza ela está relacionada com a posição de outros relativos aos solstícios. Nesse caso trata-se de um problema de geometria e não de sincronismo.

27 de setembro de 2005 às 01:26  
Blogger Pólux said...

Sem pretender fazer publicidade ao meu blog, no mesmo poderá ser visto o primeiro observatório astronómico do Ocidente.
Os arquitectos de Stonhenge colocaram a Heel Stone de tal forma que um observador colocado no centro do recinto vê o Sol despontar sobre a mesma, após a noite mais curta do ano (solstício de Verão). Rodando depois 90º esse mesmo observador saberia sobre que megalito nasceria o Sol no solstício de Inverno.

E porque o meu Amigo fala de Equinócio:

Equinócio


Na linha azul do horizonte infindo,
trespassando margens e abismos,
um encontro imóvel, perfeito,
na claridade ametista e lisa do Cosmos.

Repartido entre a luz da manhã clara
e a brumosa sombra que a noite lavra,
ergue-se, na geometria das trevas e dos dias,
o equinócio do tempo e da palavra.

É então que atravessado de luz e fogo
o Astro-rei beija o Equador.
A cinérea e atra noite serei.
Tu, a janela-sol do dia redentor.

27 de setembro de 2005 às 10:47  

Enviar um comentário

<< Home