24.10.05

«O GRANDE PATO!»

NO SEGUIMENTO do post com o Pato Donald (e do comentário que uma leitora fez), aqui fica, em «Comentário-1», uma história sobre hambúrgueres de pato...

1 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

O GRANDE PATO!

Confesso que estava à espera de tudo menos de ver o Eng. Estultício, juntamente com o seu fiel Batatinha, a discutirem Ciências Humanas na esplanada do café!

Ou melhor: eles discutiam acerca dos hábitos das diferentes civilizações, novas e antigas, e até tinham na frente um enorme cartapácio intitulado «Usos e Costumes dos Povos do Mundo» (que trazia referências desde o homem das cavernas até ao dos nossos dias) e que eles pareciam consultar febrilmente, folheando-o para a frente e para trás!

A primeira coisa que me veio à cabeça foi que o Estultício, ainda mal recomposto da sua incrível viagem de férias à floresta-virgem, se estava a informar dos hábitos dos seus habitantes para (quem sabe?) lá voltar numa próxima oportunidade. Mas, afinal e como veremos mais adiante, não se tratava de nada disso.

O certo é que estavam tão absorvidos que só deram pela minha chegada quando eu, dando as "boas-tardes" e puxando uma cadeira, me sentei junto deles. Mesmo assim, apenas tive direito a um rápido cumprimento, pois continuaram compenetradíssimos no que estavam a fazer.

- Tem aí o seu telemóvel? - perguntou, a certa altura, o Batatinha ao Grande Chefe como se tivesse tido uma grande ideia. - Não trouxe o meu.

Tratava-se, como pude apreciar logo a seguir, de consultar um "site" da Internet que vinha referido algures no livro. E, nesse endereço, era suposto encontrarem-se muitas (e bastante detalhadas) informações relacionadas com o assunto que tanto os absorvia.

E parece que assim era. Embora com as conhecidas limitações do modo WAP (pois a terceira geração de telemóveis ainda se fazia esperar), o nosso amigo Batatinha, depois de activar o aparelho do chefe, lá acedeu ao tal endereço.
Em seguida, perante a impaciência do outro e o meu interesse crescente, lá foi passeando, para cima e para baixo, à medida da sua curiosidade e das informações disponíveis no referido "site".

Espreitando como pude, vi, então, que o assunto da pesquisa tinha a ver com "comida"!

- Vem muito a propósito dos seus amigos antropófagos! - comentei eu, mas apenas para ver se eles "se descosiam".

O Estultício não se dignou responder logo. Fez um sorriso amarelo (decerto recordando os penosos transes por que passara recentemente) e, por fim, recostando-se e pegando na caneca da cerveja com toda a calma, condescendeu em esclarecer-me:

- Você recorda-se de quando, há algum tempo, o maroto do meu filho se divertiu à minha custa?
Fiquei a pensar... Eu sabia lá quantas vezes o rapaz se teria divertido com a ignorância do pai!? Mas ele continuou:

- Estou a falar de quando ele me disse que "ISP" queria dizer "Industrial de Salsichas e Presuntos"...

Claro que me recordava, e ri-me com gosto ao relembrar a peripécia.

- Não se esteja a rir, pois umas coisas puxam as outras. Não me vou meter nas salsichas, mas decidi entrar de cabeça no negócio de hambúrgueres, que toda a gente sabe que é uma coisa que dá imenso dinheiro.

Abri a boca de espanto! O Estultício ia pôr a sua Tekno-Teknika a fabricar carne picada?! Eu estava já a ver o cartaz: «Hambúrgueres Estultício com... Batatinha frita». Mas... e o que é que isso teria a ver com o livro e a pesquisa na Internet?! Não foi preciso perguntar:

- O meu negócio (como todos aqueles em que me meto, aliás) vai esmagar a concorrência. Assim, apenas tenho de me informar acerca dos hábitos alimentares dos povos, pois a minha actividade vai ser arrasadora e de âmbito mundial.

Além dos hábitos alimentares dos antropófagos, ele já sabia há muito tempo que nos países muçulmanos não deveria vender hambúrgueres de carne de porco. E acabava de saber, pelo livro, que na Índia não seria muito bem sucedido se se propusesse vender hambúrgueres de carne de vaca.
Estava ele a tomar apontamentos dessas coisas todas quando, de súbito, exclamou:

- Ó Batatinha, para acabar com isso, veja lá aí no ciberespaço se há algum país em que não se possa comer carne de pato.

Enquanto o adjunto fazia a pesquisa, o Grande Engenheiro, depois de beber o último gole de cerveja e enquanto limpava os lábios, esclareceu, virando-se para mim:

- Tive uma ideia genial. Mas não foi agora... Já venho a amadurecê-la desde esta manhã, quando estava a fazer a barba, e ouvi um grasnar vindo do quintal da vizinha.

Calou-se por momentos, para aquilatar do meu interesse e concluiu:

- Se os gajos da Walt Disney alinharem, lançamos um produto que vai ser imbatível, pois tem a enorme vantagem de ter a propaganda já toda feita: Hambúrgueres Pat' Donald's.

----
Esta é o Capítulo XI das «Aventuras do Engº Estultício», publicadas em tempos na revista «Internet Prática» e actualmente "online" em
www.janelanaweb.com/humormedina

24 de outubro de 2005 às 22:46  

Publicar um comentário

<< Home