28.1.06

Câmara lenta? (*)

NOTICIA o «Público» que «o deputado municipal social-democrata Victor Gonçalves apresentou na 3ª feira uma moção que critica o estado da cidade no que respeita à proliferação de cartazes e exige a reposição da legalidade o mais depressa possível».

Atente-se na expressão «o mais depressa possível» que faz parte da pecha portuguesa de falta-de-rigor (como "um bocado", "à tardinha", "um certo tempo") a que também recentemente Jorge Sampaio se referiu a propósito da expressão «prazo razoável», usada algures nos trâmites da Justiça.

E repare-se, também, na posição camarária sobre o assunto:

«O ideal seria que todos os cartazes fossem retirados no prazo de 5 dias úteis após as eleições que a lei prevê. Mas já era muito bom que o fossem em duas semanas».

Ficamos também a saber que a autarquia se diz disposta a esperar três semanas antes de proceder à retirada coerciva das ruas do material de propaganda.

Ou seja: admite-se, ainda antes de o prazo se esgotar, que a lei não será cumprida. Assume-se isso como natural, e anuncia-se uma tolerância de 200%.

E, se mais não foi dito, também não era preciso...

--
(*) Publicado no «Público» em 27 Jan 06; estes temas já aqui foram abordados várias vezes.
--
Imagem: www.canalkids.com.br/cidadania/genteboa/imagens/lixo_lixo.gif

1 Comments:

Anonymous odete pinto said...

Bem podiam e deviam, remover ou obrigar a remover toda a série de papelada colada por tudo o que é parede, pilares de pontes, caixas de electricidade, postes, etc.

28 de janeiro de 2006 às 21:54  

Enviar um comentário

<< Home