25.1.07

Medo do futuro

MILHARES DE JOVENS FRANCESES manifestaram-se nas ruas de Nantes, na noite de Ano Novo, gritando “Não a 2007!”. Não foi porque 2006 lhes tenha sido particularmente grato, a ponto de não querem mudar de ano, mas porque, tal como também gritavam, eles eram “Contra o futuro!”.
O futuro já não é um destino luminoso, nem um amanhã que canta, como muita gente acreditava. O futuro é uma incerteza que nos sai ao caminho, com muito mais vontade de nos encontrar do que nós a ela. Por isso, os jovens de Nantes soltaram o seu grito inútil de “Não a 2007!” pouco antes das simbólicas badaladas da meia noite.
Civilização é a capacidade de prever. Todavia, carregados de tecnologia, cheios de novos aparelhos, não prevemos nada e olhamos sem ver.
Por isso há tantos a quererem fugir para trás.
Ver jovens a manifestarem-se contra o futuro, como nós nos manifestávamos contra o passado, é tão perturbante como as cegonhas deixarem de emigrar.
«25ªHORA» - «24 horas»

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Os jovens já viram que o seu futuro será pior que o passado dos seus pais. Apesar de todos os avanços tecnológicos, verifica-se que com os recursos energéticos á beira do fim, não iremos encontrar uma solução que nos garanta o futuro.

25 de janeiro de 2007 às 22:24  
Blogger Bernardo Moura said...

Mas são os jovens que têm o futuro nas mãos e se quiserem mesmo modificar irão conseguir tal como os seus pais conseguiram.Penso que se se partir de uma permissa de que já não há nada a fazer em relação a um futuro mau, então ele será terrivel. Se se arregaçar as mangas e se unirem forças o futuro pode ser bom, tudo se resume a ter ou não ter uma grande convicção sobre o que queremos no futuro.
Com certeza que poderemos encontrar uma forma de utilizar a tecnologia de uma forma positiva, fazer com que ela seja a favor da humanidade e não contra ela.

25 de janeiro de 2007 às 23:02  

Enviar um comentário

<< Home