17.10.08

Em honra do "20.000" - Passatempo-relâmpago (com prémio)

DESDE TEMPOS IMEMORIAIS, porventura muito antes de Pitágoras e dos pitagóricos, que certos números provocam no Homem um grande fascínio; é o caso do 3, do 7, e de todos os terminados em zeros - o que se deve, neste caso, ao facto de o ser humano ter 10 dedos nas mãos, e à consequente numeração de base-10 (*).
Outros, como o 13, o 17 ou o 777, parecem dever o seu prestígio ao facto de serem composições dos primeiros.
Vem isto a propósito (quem diria!) da crónica do Pedro Barroso, hoje afixada, em que ele se refere aos 20.000 milhões de euros que o Estado destinou para avalizar os bancos, um número que traz à memória um outro, igualzinho: o valor estimado para a fuga e fraude fiscais, em Portugal...
Pergunta-se: qual o livro de Júlio Verne em que o autor deu honras de título a tão bonito número?
NOTA: as condições em que decorre este passatempo são iguais às que se vêem [aqui].
(*) Certas civilizações utiliza(va)m a base-20 devido à contagem, também, dos dedos dos pés, que não são menos do que os outros (se não em utilidade, pelo menos em número)... Por sua vez, os antigos babilónios eram grandes entusiastas da base-60, ainda hoje usada, e sem fim à vista!, nas unidades angulares e de tempo.
Actualização: o desbloqueio teve lugar às 14h34m, e a resposta certa foi dada 10 minutos depois.

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger Pedro Tomás said...

20.000 léguas submarinas.

17 de outubro de 2008 às 14:44  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

OK.
Pede-se-lhe que nas próximas 48h escreva para sorumbatico@iol.pt indicando morada para envio do livro.

17 de outubro de 2008 às 14:48  

Publicar um comentário

<< Home