30.10.08

Somália – Adultério e lapidação

Por C. Barroco Esperança
SEGUNDO INFORMAÇÃO da agência Reuters, os islamitas da Somália lapidaram uma mulher acusada de adultério. As testemunhas que assistiram à execução afirmaram tratar-se da primeira execução pública depois de vários anos.
A execução na praça pública foi presenciada por centenas de pessoas enquanto Maomé, algures no Paraíso, se rebolava de gozo e os guardas abriram fogo, quando um familiar corria para a vítima, e abateram um menino.
Por mais respeito que a fé possa merecer e por muito apreço que o multiculturalismo suscite, não pode haver na cultura europeia e na herança recebida do Iluminismo o menor respeito ou a mais leve consideração por tão boçal manifestação de barbárie.
Que teria sucedido à Europa se tivesse parado no tempo das Cruzadas a venerar Urbano II ou se, há um século e meio, Garibaldi não tivesse reduzido Pio IX à insignificância, à criação de dogmas e excomunhões?
A tradição é o argumento obsceno que a inteligência e o humanismo não podem aceitar. Na Índia, de vez em quando, ainda surge a família do defunto a empurrar a viúva para a pira funerária mas a justiça já consegue deter os trogloditas que ousam assar viva uma pobre mulher.
A Europa, pregando o respeito pelas tradições e violando a soberania dos países, como sucedeu no Iraque, perde a força moral para se opor ao fundamentalismo religioso que grassa no seu próprio espaço.
Há dias, o Director da BBC proibiu qualquer conteúdo irónico sobre muçulmanos e deu um exemplo intolerável de censura e cobardia.
O medo e a pusilanimidade são o húmus onde florescem a intolerância e a fé.
NOTA: Esta e outras crónicas do mesmo autor encontram-se no blogue Ponte Europa.

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

A única herança do Iluminismo foi a guilhotina. E continua a funcionar, bem oleada, ainda hoje.

30 de outubro de 2008 às 16:56  
Blogger Carlos Esperança said...

Táxi Pluvioso:


O seu comentário pode ser injusto - e é -, mas está de acordo com a costela surrealista que cultiva.

30 de outubro de 2008 às 17:13  
Blogger Pena Escarlate said...

Meu caro, todas as religiões são fundamentalistas!

Em nome de Deus a Igreja Católica durante séculos matou e atirou para a fogueira milhares de "hereges". Desde os "cruzados" aos jesuítas, com a cruz numa mão e a espada na outra, violentou, matou e destruiu povos e culturas.

Desde a Santa Inquisição, passando pela Santa Aliança, Ordem Negra, Opus Dei, P2, máfia a Igreja Católica na "defesa da fé", assassinou reis, Papas e diplomatas, fecharam-se os olhos a catástrofes e holocaustos, financiou-se e apoiou-se grupos terroristas, protegeram-se criminosos de guerra, lavou-se dinheiro da máfia, manipularam-se mercados financeiros e falências bancárias...

30 de outubro de 2008 às 23:07  
Blogger Carlos Esperança said...

Pena escarlate:

Subscrevo integralmente o seu comentário.

31 de outubro de 2008 às 00:01  

Publicar um comentário

<< Home