28.3.09

Depois logo se vê

Por Alice Vieira
VIVEMOS NO PAÍS do logo-se-vê. Do pode-ser-que. Do em-princípio. Do se-tudo-correr-bem.
A dificuldade que temos em tomar decisões já quase se tornou característica nacional. É qualquer coisa que deve estar nos genes.
Diante de qualquer problema dizer “é assim, é assim, pronto, vamos a isso” - é frase que os portugueses nem sabem como se pronuncia.
E essa capacidade de ser rápido e eficaz - tipo “o que tem de se fazer que se faça depressa” - reflecte-se nas coisas (aparentemente) banais do dia a dia.
Por exemplo: já repararam na dificuldade que as pessoas têm em pôr fim a uma simples conversa telefónica?
“Adeus, adeus, beijinhos, sim, eu depois ligo, tá bem, adeus, sim, não me esqueço, sim, em princípio eu vou, beijinhos, então vá, pronto, tudo bem, adeus, adeus, beijinhos, vá, tá bem, sim..”— são capazes de ficar naquilo horas seguidas! (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

5 Comments:

Blogger Musicologo said...

As pessoas ficam sempre entusiasmadas com as coisas. E depois de se meterem nelas é sempre um cabo dos trabalhos para as começarem ou concluírem atempadamente. O "logo se vê" é exemplo expresso disso. «Sim a ideia é gira, eu alinho.». Mas é para dia 31! «Sim, sim» (diz ele a pensar que ainda tem 20 dias e que até lá tem muito tempo). E depois dá-se com ele dia 30 à noite à pressa a pegar "naquilo" e a ver o que desenrasca. E às vezes até desenrasca! Outras vez, «Sabes tive uns problemas e ainda não está pronto!».

Os problemas que teve foram simplesmente não ter pegado naquilo no momento em que alinhou.
Já cantava o António «É p'rá amanhã»...

Dizer Não? Categórico? Absolutamente. Os Portugueses não sabem dizer não. Ofende imenso. Desligar um telefone, cortar uma conversa, é impensável. É por essas e por outras que agora fico simplesmente inacessível quando quero sossego. Assim não tenho de dizer não. Simplesmente está desligado. Ou então, não é muito mais fácil dizer "olha, desculpa, tenho outra chamada!". Ou "desculpa a bateria está a acabaaaaarrr (Clic)". Mentiras piedosas. Muito melhor que "Desculpa mas já falámos muito. Agora quero ir à minha vida, xauzinho gosto muito de ti (Clic)".

Por falar nisso tenho um trabalho para dia 9. Entro de férias dia 2. Mas pode ter a certeza que este fim-de-semana já o vou começar a fazer. Nem consigo ficar descansado a pensar que podia relaxar e só o começar a fazer nas férias! Não se gozam muito melhor se pensarmos "Sim, tinha um trabalho para dia 9, mas já está feito, já o alinhavei no fim-de-semana"...

28 de março de 2009 às 15:16  
Blogger Musicologo said...

Ah, se calhar é uma vergonha admitir isto com a minha idade, mas ando a ler "A vida nas palavras de Inês Tavares", que ganhei aqui mesmo no blogue. Tenho imensos livros seus da adolescência, mas já não lia um há muitos anos. É bom ver que continuam fresquíssimos, cativantes e actuais. Lavam a alma e ficamos a sorrir. Não páre.

28 de março de 2009 às 15:20  
Blogger tsiwari said...

"é assim, é assim, pronto, vamos a isso” - é frase que os portugueses nem sabem como se pronuncia."

Achei imensa graça - como habitualmente - ao texto da Alica Vieira. Mas, que me desculpe a autora, se há coisa que os portugueses sabem dizer é pronto !

;)

29 de março de 2009 às 11:22  
Blogger tsiwari said...

Alica! Só eu!!! ALICE!

29 de março de 2009 às 11:22  
Anonymous Anónimo said...

Infelizmente parece que está mesmo nos genes de grande parte dos portugueses.

Cumprimentos

30 de março de 2009 às 22:28  

Publicar um comentário

<< Home