21.5.09

Passatempo-relâmpago

NESTA LEGENDA, que 'abrilhanta' o famoso vídeo da professora de Espinho, há um erro de palmatória. O livro A Fera na Selva (de Henry James) será enviado ao primeiro leitor que o identifique e dê os necessários esclarecimentos que apontem para o uso correcto da nossa língua.
Actualização (15h09m): a resposta certa já foi dada.

8 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Uma "dica": o problema está na última palavra da legenda.

21 de maio de 2009 às 14:59  
Blogger Carluz said...

Devia lá estar escrito: "...vais ter de te haver".

21 de maio de 2009 às 15:01  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Carluz,

Certo. Escreva para sorumbatico@iol.pt indicando morada para envio do livro.

--

NOTA: A outra forma correcta é com recurso ao verbo "avir", que se conjuga como "vir": «Vais ter de te avir comigo».

Segundo o "Ciberdúvidas da Língua Portuguesa", ambos os verbos são apropriados, com preferência, no entanto, para o «avir».

21 de maio de 2009 às 15:07  
Blogger Carluz said...

Desconhecia a utilização do verbo "avir".... sempre a aprender.

21 de maio de 2009 às 15:17  
Blogger Carlos Portugal said...

Estou naturalmente de acordo que existe um erro evidente, mas se escutarem bem a sonhora doutora verão que a legenda apenas reproduz o que ela profere. É a dita senhora que diz "de te ver".
Ora vejam!

21 de maio de 2009 às 17:45  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Já agora:

Não foi por acaso que escolhi, para prémio, um livro com aquele título...

21 de maio de 2009 às 18:35  
Blogger MJ said...

A "professora" disse ainda o seguinte: "estivestes" e "amiguíssimos". Na verdade, o ensino é hoje, na generalidade, reprodutor de ignorância, conforme referiu Medina Carreira há algum tempo. Aquela "professora" não pode ensinar pela elementar razão de nem saber falar português. Não acredito no futuro do País conduzido pelas próximas gerações. Esta "Educação" vai destruir-nos.

21 de maio de 2009 às 22:46  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Eu sei que, quando as pessoas falam, cometem muitos erros. Isso é frequente.

Mas, neste caso, o palavreado é de um nível baixíssimo, quer no conteúdo, quer - especialmente - no tom.

Sem pés nem cabeça.

21 de maio de 2009 às 23:52  

Publicar um comentário

<< Home