20.5.09

País de caloteiros

Por Joaquim Letria
25% DAS FALÊNCIAS em Portugal são consequência de dívidas e atrasos de pagamentos por produtos e serviços prestados.
O Estado, neste domínio, está longe de ser pessoa de bem. O seu atraso nos pagamentos correntes já é muito menor, mas nos tempos que correm ainda é da ordem dos 130 dias, com um atraso de 72 dias em cima do contratado, o que dá origem a ser português o atraso mais elevado da Europa onde, em termos gerais, a média é de apenas 18 dias.
Não admira, portanto, esta sensação generalizada de que os meses têm dias a mais e os pagamentos são demasiado escassos, para além do calvário do IVA e outros impostos e contribuições devidas que agravam, de forma dramática, a vida das pequenas empresas e dos cidadãos.
Também a percentagem de dívidas incobráveis é muito elevada em Portugal, e, na generalidade, pouco ou nada há a fazer, mesmo recorrendo à justiça que, como se sabe, demora anos a julgar os casos mais simples e cobra aos inocentes os olhos da cara.
«24 Horas» de 20 de Maio de 2009

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Sepúlveda said...

O que também custa os olhos da cara são os juros de dívidas, grandes ou pequenas, que se possa ter ao Estado, o qual não paga se for devedor mas reclama se for credor.

20 de maio de 2009 às 18:00  
Blogger Mg said...

Menos mal... Não chega, mas já é um começo.

A Administração fiscal está a implementar um sistema que possibilitará o reembolso instantâneo do IRS e IVA.


Segundo adianta o “Diário de Notícias”, os reembolsos de impostos sobre o rendimento dos considerados "contribuintes de baixo risco" serão devolvidos de forma instantânea já a partir deste ano e estima-se que com maior aplicabilidade em 2010.

A pretensão revelada pelo Fisco, de acordo com o plano de actividades para 2009 da DGITA, a direcção do Fisco responsável pela informática, é a de assim que os contribuintes submetam as suas declarações de imposto sejam reembolsados de imediato.

Recorde-se que, este ano, o Governo já havia antecipado em alguns meses os reembolsos do imposto sobre o rendimento dos trabalhadores mas o objectivo recentemente anunciado é o de "implementar um sistema de liquidação e de emissão de reembolsos online" conforme descreve o plano da Direcção Geral de Informática Tributária.

in http://www.impostospress.net/

20 de maio de 2009 às 19:26  
Blogger Mg said...

A propósito, recebi isto por mail há pouquíssimo tempo:




Numa pequena vila e estancia na costa sul da França, chove, e nada de especial acontece.

A crise sente-se. Toda a gente deve a toda a gente, carregada de dividas.

Subitamente, um rico turista russo, chega à recepção do pequeno hotel local. Pede um quarto e coloca uma nota de 100 euros sobre o balcão, pede uma chave de quarto e sobe ao 3º andar para inspeccionar o quarto que lhe indicaram, na condição de desistir se lhe não agradar.

O dono do hotel pega na nota de E100 e corre ao fornecedor de carne a quem deve 100 euros, o talhante pega no dinheiro e corre ao fornecedor de leitões a pagar 100 euros que devia há algum tempo. Este por sua vez corre ao criador de gado que lhe vendera a carne e este por sua vez corre a entregar os 100 euros a uma prostituta que lhe cedera serviços a crédito. Esta recebe os 100 euros e corre ao hotel a quem devia 100 euros pela utilização casual de quartos à hora para atender clientes.

Neste momento o russo rico desce à recepção e informa o dono do hotel que o quarto proposto não lhe agrada, pretende desistir e pede a devolução dos 100 euros. Recebe o dinheiro e sai.

Não houve neste movimento de dinheiro qualquer lucro ou valor acrescido.

Contudo, todos liquidaram as suas dividas e este elementos da pequena vila costeira encaram agora optimisticamente o futuro.

Dá que pensar..

20 de maio de 2009 às 22:19  

Publicar um comentário

<< Home