24.7.09

Passatempo-relâmpago - 24 Jul 09

O QUE AQUI se transcreve são os 2 últimos parágrafos de um texto de 6 de Fevereiro de 1944. Os leitores são desafiados a descobrir a que é que se refere a proposta aprovada pela citada Assembleia.
NOTA: Ao longo do dia, e se a resposta certa tardar, serão fornecidas mais partes do texto, sempre do fim para o princípio.

Actualização (15h37m): a resposta certa foi dada às 15h25m, como se pode comprovar [aqui].

20 Comments:

Blogger artista said...

A assembleia reuniu-se a um Domingo??? em 1944 6 de Fev foi a um domingo

24 de julho de 2009 às 11:18  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

O diploma de José Sócrates também tem data de domingo...

24 de julho de 2009 às 11:21  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Trata-se de um "parecer" de um tal Prof. Cordeiro Ramos, e a data é essa.

Se o senhor trabalhava ao domingo, só lhe ficava bem!

24 de julho de 2009 às 11:24  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Caríssimos,

Estou de saída para a praia, mas deixo já programadas algumas "dicas":

Às 12h30m, 14h30m e 16h30m, vão aparecer, em

http://sorumbatico-longos.blogspot.com/

mais partes do texto.

Adianto que o assunto em causa é algo que ainda hoje divide profundamente a sociedade portuguesa...

24 de julho de 2009 às 11:29  
Blogger crazy_kayak said...

proposta de reforma do ensino primário

24 de julho de 2009 às 11:49  
Blogger Joana Luz said...

Este comentário foi removido pelo autor.

24 de julho de 2009 às 11:53  
Blogger Joana Luz said...

Apesar de haver algum desfazamento temporal (este texto é de 1944 e a lei é de 1935), julgo que a proposta a que o autor refere é a que visava a extinção das associações secretas (Maçonaria, Carbonária e outras que eventualmente existissem independentemente das suas finalidades) e previa sanções aos que pertencessem a tais associações.

24 de julho de 2009 às 11:53  
Blogger dana_treller said...

Este comentário foi removido pelo autor.

24 de julho de 2009 às 12:35  
Blogger dana_treller said...

Este comentário foi removido pelo autor.

24 de julho de 2009 às 12:37  
Blogger Mg said...

Revisão da Constituição.

24 de julho de 2009 às 13:31  
Blogger Diogo Bobone Carvalho said...

Será a não participação de Portugal na II Guerra Mundial?

24 de julho de 2009 às 14:48  
Blogger dana_treller said...

Que tal o acordo de concessão de instalações militares nos Açores com os Estados Unidos?

24 de julho de 2009 às 14:53  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Acabei de chegar da praia, pelo que antecipei a afixação do texto das 16h30m...

24 de julho de 2009 às 15:19  
Blogger João Rodrigues said...

Acordo ortográfico.

24 de julho de 2009 às 15:25  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

João Rodrigues deu a resposta certa (acabei de afixar o texto completo).

Tem agora 24h para escrever para sorumbatico@iol.pt, indicando morada para envio do prémio.

24 de julho de 2009 às 15:36  
Blogger Joana Luz said...

É parecido com a resposta que dei :)

24 de julho de 2009 às 16:31  
Blogger Jorge Oliveira said...

Medina, Medina !

Evita, sff, as simplificações minimalistas.

Não faz sentido dizer que «a versão mais recente do Acordo Ortográfico divide a sociedade portuguesa da maneira mais idiota possível: em função das preferências partidárias, de tal forma que quem apoia o PS é a favor da abolição de uns "p" e de uns "c", e quem se opõe ao PS é contra!»

Por um lado, isso é uma ofensa às pessoas que se têm empenhado em desmontar as tolices do Acordo Ortográfico sem que, na sua tarefa, se visualize qualquer simpatia ou antipatia pelo PS.

Por outro lado, eu nem sequer sei se o PS, como entidade partidária, tem uma posição sobre o Acordo Ortográfico. Está inscrito nalgum programa eleitoral ou de governo?

Aliás, sabe-se que o actual Presidente da República é favorável ao Acordo e não consta que seja apoiante do PS.

25 de julho de 2009 às 09:32  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Jorge,

Claro que, em relação a muitas pessoas, a afirmação é provocatória e injusta.
Mas em relação à maioria das que conheço é verídica.

Muitas vezes, tenho tentado discutir as mais diversas coisas (simples ou complexas) e dou comigo a falar com um "surdo".

O meu interlocutor tem as suas opiniões já feitas em função do Sócrates (contra ou a favor) e não sai dali.

Poderás dizer que sou eu que tenho azar por encontrar muita gente assim... Talvez seja isso.

Mas vou colocar esse tema à discussão um dia destes, a propósito das autárquicas, onde MUITA gente vota em função dos partidos e não dos problemas concretos dos munícipes.

25 de julho de 2009 às 10:15  
Blogger Mg said...

Também não andei muito longe da verdade! :)
Afinal, o Acordo Ortográfico é quase como que uma Constituição sobre a arte de bem escrever!

Isto quando não há Googles e/ou falta de tempo para raciocinar devidamente torna-se complicado!!!

Mais a sério, e como burro velho não aprende linguas, como querem que eu me passe a habituar a escrever assim:
"De fato, este meu ato refere-se à não aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa. Por isso... por não aceitar este pato... também não vou aceitar ir a esse almoço para comer um arroz de pato... A esta ora está úmido lá fora... por isso, de fato lá terei de vestir um fato..." (texto a circular pela Internet).

Quanto à associação politico-partidária dos pró e dos contra Acordo com os PS ou os não-PS, penso que não faz sentido.
Aliás, penso que não faz sentido nenhum.

A única coisa que faria sentido seria pegar no Acordo, rasgá-lo em pedacinhos muito pequeninos, colocar cada um desses pedacinhos num ecoponto diferente e esquecer o asssunto.

Ou então (melhor ainda!) queimá-lo, e deitar as cinzas ao mar.

Seria bonito de ser ver e a malta agradecia.

25 de julho de 2009 às 17:25  
Blogger impensado said...

Fica bem um «acordo ortográfico» aprovado de pé e por unanimidade numa ditadura. É para esse regimes que põem como assunto de estado a ortografia que tais acordos existem.

25 de julho de 2009 às 20:01  

Enviar um comentário

<< Home