30.12.09

Passatempo-relâmpago de 31 Dez 09


DESAFIA-SE os leitores que viram o filme cujo trailer aqui se afixa a darem a sua opinião (devidamente fundamentada, evidentemente) sobre o mesmo.
Os comentários serão desbloqueados amanhã, dia 31 Dez 09, num momento-surpresa, sendo atribuído um exemplar do policial «Sherlock Holmes contra Jack, o Estripador» (de Ellery Queen) ao autor do primeiro.

4 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Os comentários foram desbloqueados às 11h50m

31 de dezembro de 2009 às 11:50  
Blogger Carlos Antunes said...

Bem, eu vi o filme e devo dizer que há sentimentos mistos.

Primeiro, apenas como filme, acho que há um exagero de efeitos em certos momentos e que a narrativa podia estar melhor estruturada, mais equilibrada.
Há um pequeno efeito surpresa que vem apenas de ocultarem em demasia aquilo que estamos a ver, caso contrário seria um filme mais interessante ainda.

Segundo, quanto ao cânone do Sherlock Holmes, acho que estiveram bem.
Retiraram o essencial e modernizaram, com dois actores em excelente nível.
Holmes é um detective lógico e físico em partes iguais.
Afinal de contas, a época Vitoriana podia ser cheia de regras e possibilidades mas também tinha um submundo violento.
Holme é o primeiro dos detectives "britânicos" (um uso de lógica a toda a prova) e dos detectives tipicamente "americanos" (saídos do noir, violentos e capazes de sujar as mãos se for preciso).

Não é um filme excelente, mas tem o efeito de entretenimento desejado.

31 de dezembro de 2009 às 12:07  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Pronto, o prémio já tem dono!

De qualquer forma, os comentários podem (evidentemente!) continuar, porque o filme é interessante.

--

Já agora:

O Carlos percebeu a cena em que o Watson aparece no hospital, ferido?
O médico é o Sherlock, disfarçado?

31 de dezembro de 2009 às 12:13  
Blogger Carlos Antunes said...

Essa era bastante evidente.

Agora, aquilo que eu acho que estava demasiado escondido eram as possibilidades de chegarmos às mesmas conclusões que o Holmes que é, claro, sempre o desafio.
Porque se percebeu bem que não havia realmente ali magia negra, mas algumas das cenas davam demasiadas pistas - as dos laboratórios, evidentemente - enquanto que outras - a da banheira, por exemplo - não davam suficientes.

31 de dezembro de 2009 às 12:35  

Publicar um comentário

<< Home