27.11.10

TODA a gente sabe que, nas facturas da EDP, constam inúmeras parcelas, das quais apenas uma diz respeito à electricidade que se consome. Ora esta petição da DECO destina-se a protestar contra esse facto e, ao 3.º dia, já conta com mais de 68 mil assinaturas. Ver [aqui].

10 Comments:

Blogger José Batista said...

Lá assinei mais uma petição.
Mas quem se rala com petições, para além dos que as assinam?

27 de novembro de 2010 às 10:13  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Uma petição com 2 ou 3000 assinaturas, mesmo que seja por uma boa causa ("contra a fome", "contra os despedimentos", etc), não tem consequências.

Mas se reunir 100 ou 200 mil já é diferente. Até porque, acima de um certo número de assinaturas, é obrigatoriamente discutida na A. R.
Mesmo que, lá, seja chumbada, é sempre notícia na C. Social, e expõe a realidade contra a qual os subscritores protestam.

Esta tem todas as condições para isso.

27 de novembro de 2010 às 10:40  
Blogger Manuel Brás said...

Dê mais energia a esta petição!

Tantas formas encapotadas
para muitos milhões rapinar,
são práticas tão enquistadas
de quem não pára de enganar.

Vivemos numa sociedade
de valores desencaminhados,
elevando a moralidade
de tantos ideais definhados.

O contexto vertiginoso
de valores degenerados
revela o lado pantanoso
de ideais desesperados.

27 de novembro de 2010 às 11:33  
Blogger GMaciel said...

E o que dizer das facturas da água? Pelo menos em terras comunas a minha facturação relativa ao consumo propriamente dito é de 41%, o resto são taxas.

Cambada...!

27 de novembro de 2010 às 12:09  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

G Maciel,

Pior! Em Sintra, pagamos o IMI 2 vezes por ano, mais a factura dos SMAS com a regularidade da praxe.

Mas, como se não bastasse, recebemos ainda, uma vez por ano, uma outra factura (dos mesmos SMAS) relativa à taxa de esgotos (este ano foi cerca de 45 euros)!

27 de novembro de 2010 às 12:59  
Blogger ACholdra said...

A G. Maciel

Não é apenas em terras de comunera que isso se passa, aliás, nalgumas autarquias nominalmente avermelhadas têm a água quase de borla tendo vindo a ser pressionadas para subir as tarifas...
Do que se trata é nem mais nem menos da criação da taxas/impostos a esmo; de "serviço", de esgoto (perdão efluentes domésticos), do lixo (desculpem, resíduo sólidos) etc. etc.
Umas taxas, realmente deveriam ser classificadas de impostos, são criadas pelas autarquias outras pelo governo afvaor das autarquias e de outras entidades públicas e até privadas. Todos estes impostos têm uma génese ilegal, penso eu, não foram autorizados pelo Parlamento!
Exemplos: imposto sobre suportes tipo CDs, DVDs etc a favor dos "artistas", como é gerido/distribuído????. Agora como este negócio está fraquito, fruto da evolução tecnológica é lançada uma nova taxa sobre as facturas de ISPs, quem autorizou????. Na factura do gás e criado novo imposto de "passagem", quem autorizou?. etc. etc. etc ..
É estranho o silêncio sobre esta imparavel criatividade fiscal.

27 de novembro de 2010 às 13:26  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

A autarquia de Sintra tem a particularidade de ser gerida "a meias" pelo PSD (Fernando Seara) e pela CDU (Baptista Alves).

Este último (meu colega e vizinho) é, precisamente, administrador dos SMAS.
Em tempos, fui pessoalmente ao seu gabinete para protestar contra a péssima qualidade do serviço (os Serviços mandavam-me a conta da água mesmo quando não havia fornecimento!).
Ameacei-o meter o SMAS em tribunal (pedindo para ser ressarcido do que andava a pagar), e ele disse-me, simplesmente, que o fizesse... pois tinha razão!

27 de novembro de 2010 às 14:56  
Blogger GMaciel said...

Caro Carlos, por aqui também é assim: Abril e Setembro pagamento de IMI, Novembro pagamento do saneamento básico, mas ao longo do ano é o folcore das taxas e sobretaxas.

A novidade este ano é a seguinte: Outubro, obras de melhoramento e substituição de condutas de água, com posicionamento de bocas de incêncio. Quem paga? Os munícipes através da factura deste mês, e não é pouco.

Apetece-me chamar-lhes um certo nome que não posso mencionar aqui.

No meu caso vou ter de pagar um serviço porco (porque outro nome não tem) porque não só não limparam a porcaria que ficou das ditas obras, como o calcetamento deixou depressões e lombas que se têm transformado em autênticos lagos mesmo em frente à porta do prédio.

Reclamação por e-mail para Junta de Freguesia e Câmara... resultado: junta responde dizendo que o "seu e-mail mereceu toda a nossa atenção" e que foi "reconduzido para os serviços dos SMAS". Resposta da câmara? Nenhuma.

Filhos daquela senhora!!!

27 de novembro de 2010 às 16:07  
Blogger GMaciel said...

ACholdra, eu não digo que seja só em terras comunas, apenas falo do que conheço.

Com os cortes da administração central para os orçamentos das autarquias, estas "vêem-se obrigadas" a esta criatividade fiscal, como muito bem lhe chama, mas quando o governo dá o exemplo tudo se pode esperar, e quando falo em exemplo refiro-me ao aumento da taxa de audiovisuais para colmatar o corte do estado para a RTP.

É tudo a mesma escumalha!

27 de novembro de 2010 às 16:12  
Blogger bravomike said...

«Lá assinei mais uma petição»
Batista,
garantida uma sessão na AR.
De 15 minutos.
Eles andam tão ocupados, os nossos maiores.
Basta ver a calma olímpica do se Presidente.
BM

27 de novembro de 2010 às 18:46  

Enviar um comentário

<< Home