9.3.05

Explicação do mistério referido no "post" anterior

(Clicar na imagem para a ampliar)

--

Ver também, em "Comentário", considerações sobre este problema e outros semelhantes.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Há uma multiplicidade de arranjos deste tipo que conduzem a um qualquer resultado que se pretenda.

Neste caso, parte-se de um número de sete algarismos e aplicam-se uns cálculos infantis para chegar ao mesmo número.
Com este cálculo, se não forem sete algarismos já não dá. Por isso é que se diz que não valem os dois primeiros do indicativo, no pressuposto de que toda a gente tem um número de telefone com nove dígitos.

Representemos o número por abcdefg.

Basta olhar para a sequência de cálculo para perceber.

[(abc x 80 + 1) x 250 + defg + defg - 250] / 2

Isto é o mesmo que :

[abc x 20.000 + 250 + defg + defg - 250] / 2

Multiplicar por 80 e depois por 250 é o mesmo que multiplicar por 20.000, ou seja, 2 x 10.000, o que duplica o valor abc e acrescenta convenientemente quatro zeros, para poder encaixar os quatro dígitos finais, que são somados duas vezes. Como foi tudo duplicado, é necessário dividir por 2 no final do cálculo. Chega-se ao número de partida, porque o 250, que é primeiro somado e depois subtraído, desaparece tranquilamente.

JO

9 de março de 2005 às 19:54  

Publicar um comentário

<< Home