23.1.06

Mantenham-se a par


HÁ TEMPOS, referiu-se aqui uma adivinha que, se for redigida de outra forma, pode transformar-se numa pequena rábula:

Um indivíduo chega a uma loja de lâmpadas, com uma na mão, e pergunta:

- Tem lâmpadas destas?
- Tenho. Quantas quer?
- Responde o empregado.
- Metade das que tiver aí.
- Lamento muito, mas não posso vender-lhas.


A história pode ser mais ou menos esticada, mas o motivo da recusa é que o número de lâmpadas que havia na loja era ímpar...

Pela mesma razão, quando se dizia que, para que Cavaco ganhasse à primeira-volta bastar-lhe-ia ter «50% dos votos e mais um», isso só seria verdade se o número de votantes fosse par - o que pouca gente poderia garantir na altura...

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Boa! Nunca tinha pensado nisso!

G.R.

23 de janeiro de 2006 às 12:43  
Anonymous Anónimo said...

E já agora, apesar de toda gente arredondar um número sempre por excesso quando a fracção termina em 5 está incorrecto. Ou seja, por exemplo 6,5 arrendonda-se para 7, quando na realidade deveria ser 6. É a chamada "regra do par" . O número terminanso em 1,2,3,4 arredonda-se por defeito (6,1; 6,2; 6,3 e 6,4 arredonda-se para 6)e 6,7,8,9 arredonda-se por excesso(6,6; 6,7; 6,8 e 6,9 arredonda-se para 7). Quando é 5 arrendo-se de maneira que o número anterior fique par (6,5 para 6 e 5,5 para 6). É algo utilizado na estatística para não inflacionar os resultados, equilibrando-os assim.

23 de janeiro de 2006 às 15:06  
Blogger cãorafeiro said...

por acaso já tinha pensado nisso.

neste caso, houve 5529289 votantes.

como só contam os votos validso, retiramos 58885 em branco e 43406 nulos.

o que dá 5426998 votos expressos

50% são 2713499

logo vcavaco precisava apenas de 2713500 votos.

teve mais 32051...

24 de janeiro de 2006 às 15:14  

Publicar um comentário

<< Home