18.4.07

Uma data... de problemas

Esperava-se que hoje, na conferência de imprensa dada pela UnI, alguém esclarecesse, entre outras coisas, se a data da licenciatura de José Sócrates foi 8-8-96, 8-9-96 ou outra qualquer.
Parece-me, no entanto, que a origem da confusão também pode estar também no que adiante se lê.

(…)
E as queixas deste continuaram:
— Primeiro houve uns burocratas de Bruxelas que alteraram as datas para o modelo CEE. Em vez de escreverem, por exemplo, 16-10-96, começaram a escrever 96-10-16. Até aí tudo bem, o meu cérebro ainda acompanhou, pois são coisas que devem ter a ver com a política de segurança europeia e não me meto nisso.
— Então e depois?
— Bem, depois aconteceu que compraram agora para a Tecno-Máxima computadores novos, e as datas passaram a ser escritas de várias maneiras! Fiquei a saber, por exemplo, que os americanos trocam os meses com os dias! Assim, a data de 16 de Outubro, do exemplo que lhe dei há pouco, tão depressa aparece sob a forma 16-10-1996 como 10-16-1996.
— Compreendo, de facto é preciso ter-se muita atenção…
— Pior! Às vezes é preciso ser-se bruxo! Estudei o assunto e descobri que só há 3 famílias de casos em que não pode haver confusão. Uma, é a família das datas nominativas.
— Datas nominativas?!
Sim, quando a pessoa escreve o nome do mês por extenso. O segundo caso, são as “datas bisadas”.
— Datas bisadas?!
— Sim, como, por exemplo, 8-8-1996, 9-9-1965 e 5-5-1977. Como o número do dia é igual ao do mês, nunca há problema.
— Claro. E a terceira família?
— A outra é a família das “datas obrigatórias”. Por exemplo 30 de Setembro de 1993, quer se escreva 30-9-1993 ou 9-30-1993 também nunca dá origem a enganos.
— Certíssimo.
— O pior é a família das “datas duvidosas”! Como é que eu sei se 8-9-1996 é 8 de Setembro ou 9 de Agosto?!
— De facto… - anuiu o psicanalista, coçando a barbicha e enchendo o cachimbo.
— E passa-se o mesmo com outras datas, como 12-13-1996.
— Essa não! Esse último exemplo, logo por azar, foi mal escolhido...
— Tem razão. Sou eu que já estou confuso... Estava a olhar aqui para o recibo de Dezembro onde vem a verba do 13º mês…

__________

Extracto (ligeiramente adaptado...) do livro «Jeremias e as Incríveis Consultas do Dr. Reboredo», publicado em fascículos pela revista «Cyber-Gui@». O texto completo, em e-book (PDF), está disponível em www.jeremias.com.pt . Na imagem que aqui se mostra, pode ver-se o Dr. Reboredo (um info-excluído que vive em pânico com o mundo-dos-bits) e, atrás dele, o seu psicanalista - que já não sabe o que lhe há-de fazer...

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Esta confusão ainda levanta outro problema: a data de validade dos produtos alimentares. Já por diversas vezes, fiquei sem saber se determinado produto estava dentro ou fora da validade.
PODE SER GRAVE.

19 de abril de 2007 às 09:46  
Anonymous Anónimo said...

É,por acaso, por causa da merdas das datas que eu nunca sei a quantos de maio pare a pôpa.

19 de abril de 2007 às 15:08  

Publicar um comentário

<< Home