12.4.08

Vão dar sangue!

Por Joaquim Letria
OS PORTUGUESES têm o ministério da educação e os professores para os distraírem. Já não importa a traulitada que possa ocorrer nas escolas. É uma questão de palpite. Quem fala verdade? Aposte, e ganhe um ano de propinas à borla!
Ora veja: a ministra da educação garante que “nenhum conselho executivo formalizou qualquer pedido de suspensão da avaliação do desempenho dos professores”.
Se a ministra garante, deve estar certa, verdade?! Pois parece que não... A Fenprof, que representa os professores, garante que 46 escolas já pediram a suspensão do processo de avaliação dos professores. Giro, não é?! E depois querem que os miúdos falem sempre verdade, quando pedagogicamente lhes dão exemplos destes.
Alguém está a mentir, não é verdade? E uns e outros sabem que alguém está a mentir, certo?! Então vão dar sangue! E têm os portugueses de entregar os filhos, para aprenderem alguma coisinha, a gente desta…
«24 Horas» de 9 Abr 08

Etiquetas:

5 Comments:

Blogger Fernando Évora said...

Sr. Joaquim Letria: os portugueses não entregam os seus filhos a gente desta. Porque a gente desta que o sr. refere é o ministério e os sindicatos. E os nossos filhos ficam nas escolas, entregues a professores e auxiliares. Porque se fosse à gente que o sr. refere no texto estávamos bem tramados e não havia já sangue para dar, como o sr. gentilicamente apela.

13 de abril de 2008 às 00:08  
Blogger julia said...

Joaquim Letria:
Sou professora há 28 anos, os portugueses já me entregaram uns milhares de filhos para educar; sou mãe de 4 filhas e já as entreguei e continuo a entregar a professores para as ensinar; lutei nas lutas estudantis antes do 25 de Abril e continuo a lutar(ainda não me "endireitei" com a idade - tenho 53 anos)nos sindicatos de professores; posso-lhe garantir que se alguém mentiu neste processo não foram os professores (por imperativo profissional a maior parte de nós é gente séria); faz bem em mandar ir dar sangue porque isso é um dever cívico; por acaso sou dadora de sangue (encartada e tudo) mas este ano a carrinha do instituto ainda não foi à minha escola; mas assim que for lá estrei eu; só não percebo o que é que dar sangue tem a ver com a história dos professores e do ministério ?!

13 de abril de 2008 às 00:24  
Blogger Mendonça said...

Penso não me enganar se disser que JL também é professor. Pelo menos deu aulas em vários estabelecimentos de ensino, e julgo que ainda dá.

Assim, entendo a expressão «Vão dar sangue!» (que, obviamente, deve ler-se no sentido de «Vão passear!») como um desabafo em relação à tropa-fandanga que, no Min. Educação e em alguns sindicatos de profs., lhe dá cabo da paciência.

Pelo que disse, e também porque já andei pelo ensino, não lhe levo a mal o desabafo.

13 de abril de 2008 às 13:53  
Blogger damal said...

Para quem se tornou burguês e vendeu o Tal & Qual,ao capitalismo pia muito fino ,onde estava o Senhor antes do governo Sócrates?
Só agora é que lhe deu para contestar a politica estudantil?

Espero que esteja melhor do hemorroidal!

13 de abril de 2008 às 18:19  
Blogger Mendonça said...

Damal,

Concorde-se ou não com o teor da crónica do JL, onde é que se fala de «política estudantil»?
Se bem o li, o texto ataca apenas o Ministério da Educação e a Fenprof. Portanto, o tema é «política educativa» e não «política estudantil».

Quando o JL fala dos estudantes, é apenas para lamentar que eles estejam entregues a rapaziada desse jaez.

13 de abril de 2008 às 19:56  

Enviar um comentário

<< Home