27.8.08

POBRE POVO NAÇÃO DOENTE

Por Baptista-Bastos
ESTÁ UMA BATALHA LÁ FORA e os políticos não encontram melhor forma de reconhecimento do que se passa senão com dizer coisas sem sentido. A violência está a mudar (mudou) a nossa sociedade e põe em causa não apenas a face social do País como favorece a emergência de ataques à liberdade, em nome da segurança. As primeiras páginas dos jornais, os "alinhamentos" dos noticiários televisivos não se baseiam em princípios abstractos: a gestão do medo traduz a realidade do medo, e uma falta de confiança na avaliação dos políticos.
Impressionamo-nos com a crueza das imagens de brutalidade mas, a seguir, admitimo-las porque nos resignámos. Criou-se a mentalidade difusa, volatilizada, de que esta realidade é a concepção subjacente da "modernidade". Oculta-se a verdadeira razão: o capitalismo contemporâneo criou um indivíduo que recusa e resiste a qualquer forma de compromisso. Os laços sociais foram destruídos e o homem "moderno" encerra-se em si próprio, indiferente não só ao "outro" como relapso aos assuntos públicos.
(...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger rui mota said...

Nem mais. O desprezo a que é votado o cidadão português é estrutural e não é de hoje. A cultura dominante é a do "safe-se quem puder". Quem não pode...

28 de agosto de 2008 às 12:11  

Enviar um comentário

<< Home