4.3.09

Os 'billions', os biliões e as cabecinhas baralhadas

No Público online de ontem, no seguimento da habitual confusão entre "billion" (10^9) e "bilião" (10^12), a população da Terra aparece multiplicada por 1000. A notícia está cheia de comentários de leitores a chamarem a atenção para o erro mas, como habitualmente, isso de nada adianta.

11 Comments:

Blogger Luís Bonito said...

Estive tentado a não comentar mas aqui vai.
Talvez a língua portuguesa seja das poucas que mantém esta ambiguidade. Os países de língua inglesa utilizam million, billion e trillion (para 10 elevado a 6, 9 e 12, respectivamente). Outros países adoptaram o milliard (ou designações com fonética semelhante) para o nosso bilião (termo este que nós adoptámos do francês).
Só não percebo é porque ainda não se corrigiu esta ambiguidade.
Parece aquela velha história da mãe que dizia orgulhosamente que o filho era o único que marchava com o passo certo, os outros marchavam todos com o passo trocado...

4 de março de 2009 às 11:50  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Os franceses já não usam o "bilion" para referir 10^9.

Passaram a usar, para esse valor, a palavra "milliard".

4 de março de 2009 às 12:19  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Esta é de hoje, do mesmo jornal:

«(...) face à crise econonómica e financeira, as prioridades (...) deverá ser “minimizar as consequências de escassez de crédito e restaurar a confiança nos mercados financeiros”».

4 de março de 2009 às 12:30  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Hoje mesmo, numa ourivesaria, a gerente foi a uma gaveta buscar uma máquina de calcular para fazer a conta 170x10.

Vá lá, que não fez a verificação com lápis e papel...

4 de março de 2009 às 12:36  
Blogger Luis Melo said...

Se não tivessemos a mania de imitar os americanos, nada disto acontecia.

Diz-se "Mil Milhões - 10^9" e "Biliões - 10^12".

4 de março de 2009 às 13:24  
Blogger Oscar said...

Essa de corrigir a ambiguidade, do 1* comentário, tem os seus perigos neste país. O mais certo era alterar significados já existentes, o que para contratos passados implicava usar-se a interpretação mais favorável...Por outro lado, muitos dos erros de € do site de ajuste directo ficavam automáticamente corridos.

4 de março de 2009 às 15:40  
Blogger Sepúlveda said...

Podia ficar bem explícito que referências anteriores à nova regra estar em vigor seria aplicável mil milhões e após, biliões.
Como vai ser com o acordo ortográfico e a maior "interliteracia" que haverá com o Brasil? É que, se não me engano, lá "bilhões" são os herdados dos EUA, i.e. 10^9. Que até me parece bem e mais prático usar bi e tri em vez do nosso longo mil milhões.
E "trillion" (10^12) equivale a quê em português de Portugal?

4 de março de 2009 às 16:30  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Este assunto já foi por várias vezes abordado neste blogue.

Embora nem sempre tenha sido assim (segundo julgo) Portugal usa, actualmente, a chamada «regra do n-lião», em que "n" é o expoente da potência a que se eleva "1 milhão".

Assim:

1 milhão=(10^6)

1 bilião=(10^6)^2

1 trilião=(10^6)^3

1 quadrilião=(10^6)^4

etc.

Os intermédios designam-se por

10^9..milhar de milhão
10^12..milhar de bilião
etc.

4 de março de 2009 às 16:44  
Blogger Jorge Oliveira said...

Infelizmente, a designação dos grandes números segue duas regras internacionais distintas, conhecidas por “escala curta” e “escala longa”, conforme pode ser lido, por exemplo, nesta página da Wikipedia :

http://en.wikipedia.org/wiki/Long_and_short_scales

A escala curta, usada nos países anglo-saxónicos, muda o nome 3 em 3 “casas” : milhão, bilião, trilião, etc.

A escala longa só muda o nome de 6 em 6 casas, pelo que obriga a recorrer ao milhar de milhão, etc.

No tempo da minha escola primária ainda se usava a escala curta em Portugal. A miudagem achava a coisa lógica e aprendia facilmente.

Agora que os grandes números de dólares e euros aparecem com frequência, a confusão instalou-se.

Embora respeite a norma adoptada em Portugal, pessoalmente prefiro a escala curta. E penso que deveríamos uniformizar, a nível planetário, adoptando a escala curta.

Note-se que os brasileiros, que se aprimoraram a abastardar a língua portuguesa, também nesta matéria tinham de aumentar a confusão, adoptando a escala curta, do vizinho americano, mas inventando um sugestivo “bilhão”. Talvez influência das boas "bilhas" das brasileiras...

Se o malfadado acordo ortográfico entrar mesmo em vigor, que fazemos? Qual será a opinião do senhor ministro da Cultura, que quer antecipar tão apressadamente a aplicação do “acordo”?

5 de março de 2009 às 01:49  
Blogger Julio said...

è muito simples.
1 milhão de Milhões são 1 Bilião
1 milhão de milhão de milhões são um trilião e por aí fora.

è muito número desta forma e daí se usar 10 elevado a x para facilitar mas assim temos mais noção da coisa.
Para o romanos antigos era mais simples pois não precsavam de tanto para o seu dia a dia.

11 de abril de 2009 às 13:59  
Blogger Julio said...

Houve pessoas que não concordaram, mas é mesmo muito simples e dechem de lado as questões exponenciasi que só complicam quando se usa um critério que seja fácil de entender por toda a gente.
1 - Só se usa a terminação -"lhão" para Milhão.
2 - Im Milhão é um Mil Lhão
Logo seria 1000 Milhões, mas aqui trata-se de usar só minhão a milhão, logo,
3 - 2 vezes Milhão é bi- Milhão logo 1 Milhão de Milhões, seja

1 000 000 000 000

4 - 3 vezes o uso de Milhão é Trilhão que significa 1 Milhão de Milhão de milhões, seja

1 000 000 000 000 000 000.
we por aí adiante, senão como se escreveria, ( sem o 10 elevado a x), no uso corrente estes números?
Os sistemas que falam faz-me lembrar os comerciantes ignorantes que usavam com erros grosseiros o latim nos seus lemas para dar mais credibilidade ao seu mercantilismo. Sejamos práticos e não tão redutores e complicados nas respostas que de si são tão simples.
bi milhão duas vezes milhão, Enfim.

11 de abril de 2009 às 14:17  

Enviar um comentário

<< Home