27.4.09

A capinha (*)

Por Joaquim Letria
AO CABO DE UMA DÉCADA a escrever ao relento, todos os dias sem falhar, arranjam-me uma capinha para me agasalhar.
De hoje em diante, passo a escrever abrigado por esta capa, neste cantinho onde me deixam continuar a dizer o que penso, ao mesmo tempo que espreito o que me rodeia.
Já aqui aconteceu muita coisa, já passou por aqui muita gente e até já tive boa vizinhança, quando aqui alojaram a Clara Pinto Correia, alugando-lhe uma parte de casa antes dela partir para os fins-de-semana. Senhora do seu nariz, nem um olá retribuiu, quando me debrucei da coluna para a ver e cumprimentar. Feitios…
Já ouvi dizer que me vão arranjar novos vizinhos. É natural. Com a crise da habitação e com a subida do “spread”, não posso exigir só gente de bem. Não me pronuncio. Por mim vai ser “bom dia” e “boa tarde” e ala que se faz tarde, que os tempos não estão para salamaleques.
De qualquer maneira, fico contente, com esta capinha que me deram para estrear hoje. Devem ter ouvido, como eu, que “quem tem capa, sempre escapa”. Oxalá que com o “24Horas” também seja assim.
«24 Horas» de 27 de Abril de 2009
.
(*) Explicação (CMR): Estas crónicas de JL têm sido sempre publicadas na última página do «24 Horas». A partir de hoje, no entanto, o jornal passou a ter uma capa, pelo que a coluna foi transferida para duas páginas atrás - ficando, como diz o autor, protegida por uma "capinha".

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger redonda said...

Penso que nunca terei lido nenhuma, mas depois de ler esta capinha, vou começar a ler.

28 de abril de 2009 às 12:07  

Publicar um comentário

<< Home