31.12.09

Os arreliadores congressos

Por Joaquim Letria

BUENOS AIRES é uma cidade maravilhosa. Talvez por isso tem sempre milhares de médicos e ecologistas de todo o mundo reunidos em congressos.

Estas duas comunidades científicas preocupam-se com a “Sã permanência dos humanos na Terra” e defendem-nos dos “perigos cada vez maiores que ameaçam o nosso planeta”.

Em Buenos Aires há engarrafamentos de congressos. Admitindo que as sessões de trabalho ocupam 16 horas diárias, ou seja 960 minutos, os quais, multiplicados por oito dias, se convertem em 7680 minutos, chegamos à conclusão de que cada cientista dispõe de 7 minutos para comunicar e interrogar os seus pares.

Mas como as sessões são matutinas e vespertinas, esses 7 minutos são divididos por dois, o que não dá aos ilustres cientistas nem tempo para mandarem um beijinho à família, nos dois turnos de 3,5 minutos que lhes cabem. Por isso, alguém redige as conclusões que permitem, no final, ficarem todos informados depois de dispensados da arreliadora presença nos maçadores trabalhos. É assim que se consegue ir ao Rio de Janeiro, a Fernando Pó, ao Antártico, ao tango e ao samba e, noutros casos, brincarem aos piratas da Malásia. Sempre, sempre a bem dos humanos na Terra ou em defesa dos perigos que ameaçam o nosso planeta. Para nosso bem…

«24 horas» de 31 de Dezembro de 2009

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger R. da Cunha said...

É a vida, como diria o outro...
Aproveito para desejar um Bom Ano, que é o último da 1.ª década do sec. XXI e do 3.º milénio, ao CMR e a todos os contribuidores deste imprescindível blogue.

31 de dezembro de 2009 às 16:50  

Publicar um comentário

<< Home