19.1.10

NUM MAIL com o título «Louvor supersónico», enviaram-me isto como se fosse algo de escandaloso. O que acham?
Actualização (19h20m): dado que ainda se arranja um exemplar do livro Vida Alcatifada, o Sorumbático decidiu atribuí-lo ao autor do melhor comentário que venha a ser feito até às 20h de sexta-feira, dia 22 p.f.
Actualização (22 Jan 10/20h42m): ver o resultado no comentário das 20h41m.

15 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Acredito que até nem haja malandrice.

A senhora trabalhou apenas uma semanita, mas o texto do DR deve ser o "Chapa-3", o das exonerações.

A questão que se coloca é saber se essa (aparente) ligeireza é correcta.

19 de janeiro de 2010 às 17:53  
Blogger R. da Cunha said...

Alguém se enganou nesta contratação. Ou não? Será que a senhora não foi nomeada para outro cargo, com um pontapé para cima?

19 de janeiro de 2010 às 18:57  
Blogger RM said...

É uma óptima secretária, não era?

19 de janeiro de 2010 às 19:25  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Vale a pena ver [este] documento, onde a senhora é referida (na pág.5, é a 3.ª a contar de baixo). A coisa não lhe correu bem, mas agora até pode dizer que saiu com um louvor do Primeiro-Ministro, publicado no DR!

19 de janeiro de 2010 às 19:40  
Blogger RM said...

Apenas para descontrair !!!!

-Sócrates morreu. Deus e o Diabo brigam porque nenhum dos dois quer ficar com ele.

Sem acordo, pedem a mediadores uma solução, que decidem por uma proposta obrigatória:

- Que se alterne a sua presença um mês no céu e outro no inferno.

No 1° mês, Sócrates vai para o Céu. Deus não sabe o que fazer, quase enlouquece.

O engenheiro maldiz de tudo, põe em causa todos os elementos de oração e da liturgia,dissolve o sistema de assessoria pessoal dos anjos, suborna as nuvens, transfere 1 km quadrado do Céu para o inferno, nomeia arcanjos provisórios aos milhares, intervém nas comunicações aos Santos, troca as placas das portas de São Pedro.

Envia um projecto de lei aos apóstolos para reformular os Dez Mandamentos e amnistiar o Diabo.

O Céu transforma-se num caos.

As pessoas não o suportam mais, promovem piquetes e invasões.

Anjos-Magistrados, Anjos-funcionáriosjudiciais, Anjos-militares, Anjos-GNR, Anjos-polícias, Anjos-bombeiros, Anjos-médicos, Anjos-enfermeiros, Anjos-professores, Anjos-funcionários públicos, etc.etc., convocam greves, protestos, manifestações, vigílias, marchas...

O descontentamento é geral.

Deus passa a contar cada minuto até ao fim do mês para o mandar para o inferno.

Quando Sócrates finalmente se vai, Deus respira de alívio.

Mas lá para o dia 20, começa a sofrer novamente pensando que dentro de 10 dias tem que voltar a vê-lo.

No 1º dia do mês seguinte nada acontece. No 5° dia, ainda sem notícias, Deus estava feliz, mas começou a pensar que, tendo passado mais tempo no inferno, Sócrates poderia querer passar dois meses seguidos no Paraíso...

Desesperado com a mera hipótese, Deus decide contactar o inferno por 'banda larga' para perguntar ao diabo o que estava a suceder.

Ring...ring...ring...!!!

Atende um assessor e Deus pergunta:

'-Por favor, posso falar com o Diabo?'

'-Qual dos dois?', responde o assessor '- O vermelho com cornos ou o inventor do simplex?'

19 de janeiro de 2010 às 19:42  
Blogger Ribas said...

Mas o que terá acontecido?
A primeira classificada fica umas boas páginas acima, como foi possível ignorar esse facto?
E parece que o irmão também concorreu, mas teve nota inferior a 9,5 valores.
Quanto terá ganho pela semana de trabalho?
O erro não foi da senhora, terá tido por isso indemenizada?
Cá para mim…

19 de janeiro de 2010 às 20:22  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Diz-me quem sabe destas coisas que deve haver algum engano, pois não pode haver louvores na F. Pública com menos de 6 meses de serviço. Tem toda a lógica.

E se é "Chapa 3", então ainda é pior.
É assim que se premeia o mérito?
A tal "avaliação" (que toda a gente acha necessária - menos alguns dirigentes sindicais) é para funcionar assim?!

19 de janeiro de 2010 às 20:27  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Corrigindo:

Quem é que disse que a senhora veio da F. Pública? Ela esteve 5 dias ao serviço, mas foi como secretária pessoal de JS.

19 de janeiro de 2010 às 20:29  
Blogger Bruno Costa said...

Em tempos que já lá vão...
Um homem com um ar sério, cabelo grisalho e um nariz semelhante ao filho do seu vizinho Gepeto, passeava pelas ruas contemplando-as enquanto serpenteavam por entre casas... era um dia frio de Inverno. O gelo espalhava-se e o frio reinava.
A cada canto, pobres mendigos justificavam o seu papel, estendendo a mão e proferindo murmúrios igualmente pobres e fracos... Entretanto, um sentimento claustrofóbico apodera-se desse homem sério e vê que tudo fugiu ao seu controlo. Não sabe o que fazer para se libertar desse sentimento que,rapidamente, se transforma em angústia... Olha para todos os lados sem saber para onde ir. Corre sem norte, sem rumo, sem saber o que fazer... o desnorte leva-o à praça central onde crianças se amontoam para se aquecerem. Felizmente a sua casa é já ao virar da esquina, junto ao café «Magalhães». A passos largos caminha em direcção à esquina, mas encontra uma criança perdida e isolada da multidão aquecendo-se com fósforos. O que se passou de seguida foi visto por uns e ignorado por outros... Disse: Vem para minha casa, deixa
«Lá fora, o gelo e a neve impiedosos,
E a raiva dos ventos furiosos.
Cá dentro, o fogo que nos olhos dança
E a felicidade de criança.
Que te livre, assim, este conto terno
Da dura prisão do Inverno.»

«Minha criança tão pura e querida
Com os teus olhos voltados para o céu!
Embora o tempo seja breve, e tu e eu
Apartados estejamos por meia vida,
Com o teu sorriso aceitarás certamente
Este conto de fadas de presente.»

5 dias depois O homem diz:

Fica sabendo que vou deixar escrito que

«Nunca mais vi o teu olhar radiante,
Nem ouvi o teu riso cristalino.
E sei que será teu destino
Esqueceres-te de mim doravante.»

Lewis Carol in "Alice no outro lado do espelho". pp.7-8.

A vida é bela!! (para alguns)

20 de janeiro de 2010 às 00:09  
Blogger Mg said...

Retrato da minha semana passada.

Segunda-Feira: pequena reparação no automóvel. Muito gentilmente, e como mandam as regras (não as da boa educação, mas as outras, sim! “aquelas”…), perguntam-me se quero factura.
“Sim, pode ser”, respondo eu, “até para o ajudar, já que deve precisar de apresentar receitas ao Fisco!”

Terça-Feira: Está a chover. Passo na rua e, à minha frente, uma senhora dos seus 70 e picos tem numa mão duas sacas com compras e na outra o guarda-chuva. Com dificuldade, está a tentar abrir a porta de casa.
Posso ajudar? – pergunto.
Primeiro, olha desconfiada, mas, e como a rua estava razoavelmente movimentada, acaba por dizer, ainda um pouco a medo: “Se não se importar…”
Para não assustar a senhora, ofereço-me para segurar nos sacos das compras, enquanto a senhora abre a porta.
Porta aberta, coloco as compras no interior, e despeço-me com um “Está entregue. Tenha um bom dia”.
“Muito obrigado, muito obrigado, e bom dia pra si também.”

Quarta-Feira: vou carregar o telemóvel. Entretanto, lembro-me novamente do mail que recebi 50 vezes em que sou aconselhado a pedir factura aquando do carregamento, para o Tio “B” não fugir ao Fisco com o valor do IVA. O Multibanco pergunta se quero factura ou talão. Opto pela factura e coloco o meu número de contribuinte.

Quinta-Feira: vou pagar o IVA referente a um acto isolado. Poderia estar colectado e passar recibo verde, mas só a trabalheira de andar com o livro de recibos atrás de mim e o ter de ter cuidado para não o perder, faz-me optar pelo acto isolado. Com esta operação ganha o Fisco. E pago muito antes do prazo limite.

Sexta-Feira: vou almoçar. No meio da confusão, a D. Júlia engana-se e dá-me troco de vinte, quando só lhe tinha entregue dez.
-Oh, D. Júlia, agora você paga-me para eu vir cá almoçar?
- Como?
- Eu só lhe dei dez euros e com a sua “gentileza” ainda levo dinheiro para mais dois almoços.
- Ai foi? Olhe, nem reparei. É das pressas, sabe?!
- Tome lá.
- Obrigado! Se fosse outro, levava o dinheiro embora. Olhe, passe cá logo, que o café é por minha conta. Se eu cá não estiver, pode dizer à minha filha.

Resumindo: contribui para os cofres do Estado num valor superior aquele que poderia ser o valor real; ajudei alguém que, naquele momento, precisava, e fiquei de bem com a minha consciência, o que me permite dormir melhor de noite, e ainda tive direito a um café à borla, oferecido pela D. Júlia.

Nos entretantos, terei cumprido perto de 50 horas de trabalho, quando o meu contrato apenas especifica 40. Horas extras pagas? O que é isso?!

Posto isto, senhores Primeiro-Ministro e Ministro das Finanças: será que este pobre e humilde cidadão, não merece, também ele, um louvorzito?

Eu sei. Tenho consciência disso. Não sou nenhum adjunto de Gabinete. Nem por um dia, quanto mais por cinco, e logo seguidos!

Mas, mesmo assim, amanhã ligo para o Palácio de São Bento e falo com outra adjunta (também ela – imagino - mui competente, dedicada e extremamente leal, e paga, numa ínfima parte, com os meus impostos), a relembrar que este pobre diabo também merece uma atençãozinha especial…

20 de janeiro de 2010 às 19:57  
Blogger Al said...

O mais estranho nisto tudo são aquelas duas linhazinhas onde se lê "O Primeiro-Ministro, José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa".

20 de janeiro de 2010 às 20:11  
Blogger Serafim said...

Mais uma leviandade da nossa classe politica, ou... será mesmo do próprio País?!?!?!
Para mim, isto mostra:
incompetência de quem nomeia;
incompetência de quem exonera;
leviandade;
criancice;
etc

e para o caso de alguém me querer processar, pelo que escrevi:

Serafim Coito
BI 2203761
contribuinte 131 135 465

20 de janeiro de 2010 às 20:40  
Blogger dorean paxorales said...

O mais estranho para mim é aquele número no canto inferior direito. O que representa? A página do DR?
Se for relativo a alguma espécie de ordenação alternativa despacho, 3126 de 2009 e 3122 de 2009, parece que a senhora foi despedida antes de ser contratada.

22 de janeiro de 2010 às 11:42  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Já depois de lançado este passatempo, veio a saber-se que, na realidade, a senhora em causa já tinha sido nomeada em 2005, (como se pode ver em:
http://dre.pt/pdf2sdip/2005/04/075000000/0614906149.pdf), pelo que o concurso perdeu, em boa parte, a sua razão de ser.

De qualquer forma, o júri resolveu premiar os leitores Mg e RM, que têm agora 24h para indicarem morada para envio dos livros.

Atenção ao seguinte:

O correio "iol" tem estado com problemas, pelo que se pede que o envio seja feito para medina.ribeiro@netcabo.pt

22 de janeiro de 2010 às 20:41  
Blogger Ribas said...

Saiu hoje, dia 28JAN10, no Correio da Manhã, uma notícia relacionada com este assunto enigmático. Ali, a questão é colocada de outra forma.
A senhora visada terá sido alvo de uma “disputa” entre o PM e o seu secretário de estado adjunto, uma vez que, no dia seguinte à exoneração das funções de secretária particular do PM, a senhora assumiu as mesmas funções ao serviço do secretário de estado.
Como dizia um notável jornalista: - E esta hein!

28 de janeiro de 2010 às 15:15  

Enviar um comentário

<< Home