29.6.10

Bom senso

Por João Paulo Guerra

DEUS QUEIRA que Deus queira e que hoje, antes, durante ou após o Portugal – Espanha, a Polícia de Choque não se convença que é a Brigada Nun’ Álvares, a Ala dos Namorados, ou qualquer outros dos três lados do quadrado de Aljubarrota, e não decida intervir na “contenda”.

É que aquilo que pensámos que poderia ter sido um incidente isolado e que passara à história, em Julho de 2002, quando uma carga de polícia se abateu sobre os "nossos irmãos" brasileiros residentes na Costa da Caparica que comemoravam a conquista do Mundial de futebol, passou no final do Portugal - Brasil de sexta-feira passada a constituir um caso de brutalidade com antecedentes, uma reincidência. (...)

Texto integral [aqui]

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger Ribas said...

Os brasileiros foliões de 2002, festejavam a vitória saltando em cima de carros que não eram os deles, bebiam e comiam para depois sair sem pagar, deixando uns e outros a braços com despesas extras para as quais não contribuíram.
Situação em tudo idêntica à do passado Domingo, com a agravante de nesta última comemoração, não ter faltado danos vários no mobiliário urbano.
Como se terão sentido os proprietários das viaturas vandalizadas, pagas com o esforço do seu trabalho, mês após mês?
E o comerciante que, em vez de gozar o merecido descanso para ganhar mais algum, vê depois o seu esforço resultar em prejuízo?
Não vi na actuação policial, qualquer exagero no emprego da força. Vi antes, uma demonstração de domínio das técnicas de intervenção e de algemagem que me surpreendeu pela positiva.
Quanto a feridos, há a contabilizar vários polícias apedrejados.
Não vamos esquecer que a nossa polícia fez um europeu de futebol exemplar, por todos reconhecido.

29 de junho de 2010 às 17:24  

Publicar um comentário

<< Home