18.8.10

A gente mata, não se incomode

Por Ferreira Fernandes

JÁ AQUI falei de Sakineh Ashtiani, a iraniana que foi condenada a morrer apedrejada por adultério. E isso é o quê?, dir-me-á uma pessoa normal. A condenada é enterrada com a cabeça de fora e atiram-lhe pedras. É, existe. E como os códigos penais nunca são simples, nem a primeira, nem a segunda pedra podem ter tamanho que mate - para fazer durar. Voltando ao planeta Terra: o Presidente brasileiro, que tem andado a fazer olhinhos ao Irão para se dar (a ele, Lula) um papel na estratégia mundial, adiantou uma solução. "Se essa mulher está causando incómodo, nós a receberemos no Brasil", disse ele, oferecendo asilo a Sakineh. (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Todo o «Velho Testamento» está cheio de directivas divinas que mandam lapidar gente, a torto e a direito.

É natural que o facto de esse ser um texto sagrado embarace, em casos como este, alguns dos seus defensores...

18 de agosto de 2010 às 10:46  
Blogger macy said...

Concordo inteiramente consigo,Medina Ribeiro.
Quanto ao Lula,enfim...
Ele disse isso para sair ileso... foi feita uma petição internacional na qual participei, que pedia precisamente a Lula da Silva para interceder junto do presidente do Irão e ele nem se deu ao trabalho de colaborar com a campanha. Nem respondeu. Então vai dizer isso a Ahmadinejad só para dizer que fez algo! Olhem lá, então de cada vez que uma mulher era condenada á lapidação (são tantas...) em troca mandavam-na para o Brasil?!!!!
Enfim......

18 de agosto de 2010 às 18:52  

Publicar um comentário

<< Home