17.10.10

«Dito & Feito»

Por José António Lima

PASSOS Coelho tem dois desafios de vulto pela frente. O primeiro é imediato e terá que o ultrapassar nos próximos dias. O líder do PSD já percebeu, ou já o fizeram perceber, que a ideia de chumbar o Orçamento para 2011 é politicamente suicida. E já compreendeu que a sua margem de recuo é mínima e estreita, depois de ter falado de mais e vezes de mais sobre o tema, radicalizando imponderadamente a sua posição e o seu discurso.

Agora, terá que revelar todo o seu talento político para dar o dito por não dito. Para não se afundar num voto irresponsável e afundar, com ele, o país. (...)
Texto integral [aqui]

2 Comments:

Blogger macy said...

Excelente este post!

17 de outubro de 2010 às 12:30  
Blogger Ribas said...

Um bom retrato do actual panorama político.
Quanto a mim Passos Coelho está a gerir bem o seu papel, ao afastar-se da negociação e do aval prévio ao Orçamento.
Já bastou ter dado a mão ao Governo no PEC anterior e ter ficado a ele associado.
Desta vez ele vai deixar (e bem) a responsabilidade total das medidas draconianas para o governo e ninguém o poderá associar a nenhuma das medidas deste diploma.
No fim, só terá de deixar passar o Orçamento com a sua abstenção, fazendo com que o Governo carregue as consequências da sua própria política.

17 de outubro de 2010 às 14:38  

Publicar um comentário

<< Home