29.10.10

E quem nos livra do 'outro entulho'?!

AS TELEVISÕES têm estado a dar imagens das inundações de hoje, em Lisboa, algumas delas da Rua das Portas de Santo Antão - ver o post afixado a seguir a este. É um bom pretexto para relembrar a imagem de cima (de 3 Ago 10), e completá-la com mais duas (de 22 e 25 Out 10) - todas dessa rua.
Repare-se como "quem de direito" reparou algumas das caleiras: atulhando-as! Neste caso, e tendo em conta as consequências, a pergunta «E ninguém vai preso?!» é para ser entendida no sentido literal.

9 Comments:

Blogger GMaciel said...

É, de facto, a proverbial genialidade do desenrascanço português.

Que me perdoem a brejeirice, mas era enfiar-lhes um foguete pelo fiofó acima e colocar-lhes um apito na boca, tínhamos fanfarra e fogo-de-artifício na despedida de tão incompetente gente.

29 de outubro de 2010 às 16:39  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

A malta berra e barafusta, mas continuo sem resposta a esta pergunta (que faço sempre que me deparo com situações deste género):

Alguém conhece um advogado que me ajude a processar os responsáveis por estas situações?
Ou estaremos condenados, eternamente, a desabafar em jornais, rádios, TVs e blogues, sem que haja, verdadeiramente, a punição exemplar dessa gentinha - alguma da qual devia estar na cadeia?

29 de outubro de 2010 às 16:40  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Entretanto, Santana Lopes é encontrável numa coluna do «SOL», na TV (a falar de Orçamento de Estado, de futebol, etc) e mais não sei onde.

Só não damos por ele a defender os interesses dos lisboetas que votaram nele e lhe pagam o ordenado para o fazer.

Possivelmente, porque os problemas que, actualmente, infernizam a vida dos lisboetas já lhe mereceram (quando era Presidente da CML) a mesma atenção que merecem a António Costa:
Entre ZERO e ZERO-VÍRGULA-ZERO.

29 de outubro de 2010 às 16:42  
Blogger GMaciel said...

Infelizmente não conheço qualquer advogado, o único que conheci e bem próximo, já morreu há alguns anos.

Contudo posso indagar pelos vizinhos e amigos, pode ser que se tenha sorte.

29 de outubro de 2010 às 16:45  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Agradeço, pois as chamadas "acções populares" existem para isso.

Tanto mais que, em casos como estes, os responsáveis são perfeitamente identificáveis.
E refiro-me a quem FAZ e a quem DEIXA FAZER, evidentemente.

Neste exemplo, a responsabilidade pelo pavimento da Rua das Portas de Sto. Antão é da responsabilidade de (...), cujo chefe está bem definido - tem nome e funções.

Essa pessoa (seja lá quem for) tem de ser chamada à pedra, e responsabilizada civilmente pelos prejuízos REAIS E AVULTADOS que a sua acção (ou, em geral, inacção...) provoca.

29 de outubro de 2010 às 16:55  
Blogger bravomike said...

«Alguém conhece um advogado que me ajude a processar os responsáveis por estas situações?»
Havia um, mas desistiu, quando foi para o governo (CML).
Isto só tem uma solução: Vereadores da CML, com oito horas de serviço diário;
Metade desse tempo, a circular pelas ruas da idade, a pé;
Com a missão de elaborar relatórios e acompanhar as soluções das anomalias detectadas;
Se incapazes para o serviço, com a Assembleia Municipal a passa-los à disponibilidade.
Necessidade nº1: haver um chefe na Autarquia.
Como se dizia na tropa, do comandante: responsável por aquilo que faz, responsável por aquilo que deixa de fazer.
Como dizia frequentemente o João Soares: não há pachorra.

29 de outubro de 2010 às 18:36  
Blogger JARRA said...

Esta gente está para ficar, infelizmente!

29 de outubro de 2010 às 19:39  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Vendo a real extensão dos estragos, a pretensão atrás referida por mim (arranjar um advogado para processar certos pândegos) dá vontade de rir!

De facto, este escândalo das inundações recorrentes assume proporções de crime público, de negligência continuada, à qual dificilmente se poderá pôr cobro algum dia.
E é a ideia de que "não há nada a fazer" que é aflitiva.

Nisto tudo há, no entanto, uma coisa boa: fica bem claro que a mera hipótese de, um dia, António Costa suceder a José Sócrates (podendo, em consequência disso, vir a governar o país) é, pura e simplesmente, ATERRADORA!

29 de outubro de 2010 às 21:00  
Blogger José Batista said...

Olhe, Carlos,

digam o que disserem, os nossos governantes e autarcas são (quase todos e quase sempre) uma cambada. Ou se não são, parecem. Que pena, o Hugo Chavez não os ter levado (a quase todos) lá para o outro lado do Atlântico. O país (nós) não perdia(mos) nada.
Outra hipótese era irmos nós embora (e deixá-los cá a eles). Mas não com o Chavez...

29 de outubro de 2010 às 23:03  

Enviar um comentário

<< Home