9.1.11

Entrevista dada a «DN»/«TSF»

Por António Barreto

P: Nos contactos preliminares para marcar esta entrevista, fez questão de nos sublinhar que não apoia nenhum dos candidatos a estas presidenciais. Porquê?
R: Abandonei a política há muitos anos e se de repente apareço a apoiar algum candidato, corro o risco de dar os sinais errados. Por outro lado, tenho acarinhado muito a minha condição de independente. Sendo acessório, também o cargo que exerço na Fundação Francisco Soares dos Santos me obriga a alguma contenção. Mas também há motivos políticos, que passam pelo meu desapontamento radical com a função do Presidente da República em Portugal. Nós fomos muito especiais, ao tentar encontrar um sistema que não é nem água quente nem água fria, nem carne nem peixe. É uma coisa muito esquisita. Não é presidencialista, não é semipresidencialista, não é parlamentarista. (...)

Texto integral
[aqui]

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Bartolomeu said...

Ora aqui está uma excelente reflexão de António Barreto, que gostaria imenso de ver reflectida no tema das próximas comemorações do Dia de Portugal, de Camões, das Comunidades Portuguesas e... do Falar Claro Pela Porta Dianteira.

10 de janeiro de 2011 às 10:39  
Blogger R. da Cunha said...

Não tenho opinião definitiva sobre a "coisa" Mas não seria altura, agora que é possível rever a Constituição,discutir-se o assunto?

10 de janeiro de 2011 às 18:32  

Publicar um comentário

<< Home