11.5.11

Estado mínimo, democracia declinante

Por Baptista-Bastos

CREIO que já ninguém duvida das características ideológicas contidas no projecto de Pedro Passos Coelho. Não têm nada a ver com o ideário social-democrata: baseiam-se no breviário mais extremo do ultraneoliberalismo. Não se trata, aqui, da velha questão de conteúdo e de forma que, desde Aristóteles a Lukacs, não só enuncia um conceito de estética como atinge uma dimensão antropológica. Nem, sequer, é mera pendência de semântica. Assim como o PS nunca foi "socialista", o PSD crê na "arte de governar" cristalizada numa ordem social cegamente obediente ao paradigma do "mercado."

Menos Estado, melhor Estado, eis o lema do PSD, que contraria, de raiz, a natureza da opção genuinamente "social-democrata". De cada vez que o Estado diminui, a democracia decresce. É dos livros e é da História. (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger lena said...

Dava jeito saber o que é para BB o "breviário mais extremo do ultraneoliberalismo"... coisa diferente, seguramente, do que é explicado por muitos, mas esses com fundamentos sérios e de substância. Mas se BB acha.... está achado, pois, então...

11 de maio de 2011 às 20:17  

Publicar um comentário

<< Home