6.8.15

Morreu um amigo!

Por António Barreto
Luís Roseira era lavrador do Douro, produtor de vinho do Porto e do Douro. Deu corpo à empresa e aos vinhos da Quinta do Infantado. Lutou durante pelo menos setenta anos pelo Douro e pelos Durienses. Era médico João Semana e anestesista. Exerceu em Covas do Douro e no Porto. Fez dezenas de partos, milhares de quilómetros para socorrer doentes, ajudou pobres e tratou dos amigos. Era um democrata, um socialista e um homem livre. Partido, autoridade, Igreja, Banco, burocrata ou milionário: ninguém mandou nele. Por isso esteve preso. Por isso os dirigentes de tudo e de mais qualquer coisa o consideraram sempre um incómodo. Escreveu centenas de artigos em jornais, assim como um livro de memórias e de combate. Só a doença o calou. Morreu ontem.

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Henrique ANTUNES FERREIRA said...

Antóniamigo

(Desculpa Carlos mas hoje tenho de me dirigir ao António Barreto)

O Luís era para mim um Amigo e uma referência. Ele, o António Macedo e o Cal Brandão fizerem parte dos que ensinaram a Liberdade e o Socialismo.

Recordo o Luís um dia em Trás-os-Montes: "Olha camarada - julgo que ainda é possível tratar-te assim - não te esqueças que o "Portugal Socialista (de quem eu era o chefe da Redacção e o Cardia director) não te esqueças que o "Portugal Socialista" não é do Tito, nem do Mário, nem do Catanho, nem é teu; é de todos nós que ainda somos socialistas!"

Até sempre Luís Roseira-

9 de agosto de 2015 às 03:31  

Enviar um comentário

<< Home