26.7.06

«Código par(a)lamentar» ou «No smoking»

EM TEMPOS que já lá vão, conheci de perto um professor do IST (*) que atribuía tal importância ao vestuário, que os alunos se vestiam tanto melhor quanto menor era o seu conhecimento da matéria.
E essa sua obsessão era tal que, um belo dia, houve um brincalhão que resolveu ir directamente de uma festa de casamento para o exame - onde apareceu, todo pimpão, com o fraque que envergara na cerimónia nupcial.
Em face disso, o mestre começou por proceder como se não fosse nada mas, no fim, além de brindar o janota com uma generosa classificação, desculpou-se humildemente pelo facto de não estar à altura do examinado no que tocava à indumentária.

Essa história, de que já me não recordava há anos, veio-me agora à memória a propósito do código de vestuário que o PSD-Madeira impôs aos jornalistas que fazem a cobertura das actividades do Parlamento local.
E que tal, pois, se estes fizessem o mesmo que o referido pândego, apresentando-se ao trabalho de fraque ou smoking, levando os distintos sociais-aristocratas a fazerem, por contraste, figura de pés-descalços?
(*) Tratava-se do famoso Professor Ilharco, de Química, com quem, por sinal, aprendi muitas coisas úteis...
(Publicado no «DN-Madeira», com o último parágrafo cortado...)

1 Comments:

Blogger Bernardo Moura said...

Ou aparecerem de cuecas como Alberto João Jardim apareceu há uns anos!
Palhaçada!!!

29 de julho de 2006 às 17:11  

Enviar um comentário

<< Home